Banco do Brasil estuda levar o crédito consignado para a Argentina

Dois anos após comprar o Banco Patagônia, BB traça estratégia para crescer no país vizinho, que inclui ação mais ampla em cartões

Fernando Nakagawa, de o Estado de S. Paulo,

30 de novembro de 2011 | 23h23

Quase dois anos após comprar o Banco Patagônia, na Argentina, o Banco do Brasil começa a traçar novos planos para a instituição financeira no país vizinho. Depois de avaliar a casa e iniciar o processo de integração, o novo controlador quer atuar com força no segmento de cartões de crédito e seguros. Além disso, o BB estuda a possibilidade de estrear o sistema de crédito consignado na Argentina.

A estratégia do Banco do Brasil começa com uma ação mais ampla no segmento de cartões de crédito, explica o vice-presidente de negócios de varejo da instituição, Paulo Rogério Caffarelli. Após meses de avaliação, a percepção é que o mercado de cartões tem estágio de desenvolvimento diferente na Argentina e que, por isso, é possível agir com novos produtos.

Uma das principais características do setor de cartões na Argentina são os acordos entre as instituições e varejistas. Essas parcerias são anunciadas como atrativos pelos bancos, porque oferecem descontos e pagamentos parcelados aos clientes. O Patagônia usa essa estratégia, mas o BB acredita que é possível avançar. "Há grande chance de crescer nesse mercado na Argentina", diz Caffarelli.

Pré-pagos. Uma possibilidade em estudos pelo banco é o lançamento de cartões de nicho, como os pré-pagos. No Brasil, o banco federal já opera 150 mil cartões desse tipo e pretende terminar 2012 com o primeiro milhão no segmento. O BB também opera cartões pré-pagos com moedas internacionais para viagens, além de outros de uso específico, como os para pagamento de refeições.

Outro exemplo vem dos programas de recompensa. Recentemente, o Patagônia anunciou parceria com a companhia aérea Gol. Clientes que comprarem com os cartões emitidos pela subsidiária argentina do BB ganham milhas na companhia brasileira. Na concorrência, o Itaú oferece pontos na TAM e o argentino Galícia oferece milhas na Aerolíneas Argentinas.

Além dos cartões, Caffarelli disse que o BB estuda com atenção o mercado de seguros, e que essa área também é considerada "prioritária" para o lançamento de produtos no Patagônia.

Consignado. No crédito, a menina dos olhos é a chance de o BB estrear um mercado novo: os empréstimos com desconto em folha de pagamento. O consignado foi um dos principais motores para a rápida expansão do crédito nos últimos anos no Brasil. No banco federal, a operação foi uma das responsáveis por aumentar a participação de mercado do BB.

"O crédito consignado, com desconto em folha, não é usado na Argentina. Esse é um conceito interessante, porque os juros podem ser mais baixos para o cliente, já que a operação tem mais garantias para o banco", explicou. Caffarelli argumenta que, por enquanto, o banco estuda as regras do mercado local para avaliar se há possibilidade legal de oferecer o empréstimo com desconto em folha.

Tudo o que sabemos sobre:
Bnco do Basilcrédito consignado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.