BC decreta liquidação extrajudicial do Banco Morada

Nota informa estar confirmada a situação de insolvência do banco e a 'prática de violação das normas legais disciplinadoras da atividade da empresa'

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

25 de outubro de 2011 | 20h20

O Banco Central anunciou há pouco a liquidação extrajudicial do Banco Morada S.A. A decisão foi tomada após relatório do interventor que "confirma a situação de insolvência do banco e a prática de violação das normas legais disciplinadoras da atividade da empresa".

Segundo trabalho realizado durante a intervenção no Morada, foi atestada a "existência de passivo a descoberto e a inviabilidade de normalização dos negócios da empresa". A instituição estava sob intervenção desde o fim de abril.

O BC também determinou a liquidação extrajudicial das subsidiárias Morada Administradora de Cartões de Crédito, Morada Viagens e Turismo e Morada Informática e Serviços Técnicos. Para a liquidação, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, indicou o atual interventor, Sidney Ramos Ferreira.

O Morada é uma instituição de pequeno porte com apenas uma agência no Rio de Janeiro. O banco responde por apenas 0,01% dos ativos do sistema financeiro e cerca de 32% dos depósitos à vista e a prazo da instituição contam com garantia do Fundo Garantidor de Depósitos (FGC), segundo o BC.

Em abril, o Banco Central decidiu intervir no banco "em decorrência do comprometimento patrimonial, do descumprimento de normas do Conselho Monetário Nacional e do Banco Central". Além disso, os controladores não apresentaram plano de recuperação para a instituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.