Morgan Stanley paga multa de US$ 5 mi por acusação relacionada a Facebook

Segundo o WTJ, banco é acusado de que um dos seus banqueiros de investimento tentou 'influenciar indevidamente' analistas de pesquisa dias antes do Facebook lançar ações

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2012 | 10h10

NOVA YORK - O Morgan Stanley pagará uma multa de US$ 5 milhões para encerrar acusações de que um dos seus banqueiros de investimento de mais alto perfil tentou "influenciar indevidamente" analistas de pesquisa dias antes do Facebook realizar uma Oferta Pública Inicial de ações (IPO, em inglês) em maio. Às 9h35 (de Brasília), as ações do Morgan Stanley subiam 2,66% no pré-mercado em Nova York.

A decisão da Secretaria da Comunidade de Massachusetts não citou nenhuma nome individualmente, mas fontes identificaram Michael Grimes como um "banqueiro de investimentos sênior" do Morgan Stanley, que alegadamente escreveu um documento que um tesoureiro do Facebook usou para atualizar analistas sobre as perspectivas de receita da empresa antes do IPO ser realizado.

Segundo reportagem do The Wall Street Journal, o secretário da Comunidade de Massachusetts, William F. Galvin, afirmou que o comportamento do banqueiro "mina a confiança do consumidor". A decisão de Massachusetts é o primeiro revés oficial do Morgan Stanley, o principal subscritor no IPO do Facebook, desde a estreia decepcionante da empresa na bolsa. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.