NY fecha em queda por dados fracos nos EUA e Grécia

Índice Dow Jones recuou 0,51%; Nasdaq teve ligeira queda de 0,08% e o S&P 500, 0,21%

Reuters,

25 de fevereiro de 2010 | 19h23

Embora tenham se recuperado da maior parte das perdas ao longo da tarde, as bolsas de valores norte-americanas encerraram em queda nesta quinta-feira, 25, após dados mostrando fraqueza no mercado de trabalho e nas encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos. Esses relatórios se somaram às recentes preocupações sobre a força da recuperação econômica.

 

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,51%, para 10.321 pontos. O Nasdaq Composite teve oscilação negativa de 0,08%, a 2.234 pontos. O Standard&Poor's 500 perdeu 0,21%, para 1.102 pontos. Durante o pregão, os três principais índices chegaram a cair mais de 1%.

 

Os negócios começaram com um tom negativo, mas rumores de um "split" nas ações da Apple - pelo qual cada papel seria dividido em quatro - coincidiu com uma recuperação do mercado acionário perto do final do pregão. Um porta-voz da companhia disse que a Appla não fez qualquer anúncio sobre um "split" de suas ações. O índice Nasdaq se beneficiou da alta de 0,7% nos papéis da Apple e terminou quase estável.

 

Alguns analistas disseram que a recuperação geral das ações ocorreu devido ao fato de pela manhã o mercado ter se mostrado excessivamente vendido. "O mercado pode estar começando a acreditar que há alguma reação e agora (investidores) estão vendo esse cenário como uma oportunidade de compra", afirmou Jeff Kleintop, estrategista-chefe de mercado da LPL Financial, em Boston.

 

Mesmo assim, relatórios mostrando queda inesperada nas encomendas de bens duráveis (quando excluído o setor de transportes) e aumento nos pedidos semanais de auxílio-desemprego alimentaram o viés negativo. Os dados vieram após a divulgação no início da semana de outros indicadores apontando baixa na confiança do consumidor e recuo nos preços e nas vendas de moradias.

 

Papéis dos setores industrial e financeiro estiveram entre os de pior desempenho no S&P 500. A ação do JPMorgan Chase&Co recuou 0,5%. As ações da Coca-Cola perderam 3,7%, maior influência negativa sobre o Dow Jones, após informar que vai adquirir sua maior engarrafadora na América do Norte em uma transação de cerca de US$ 13 bilhões incluindo dívidas.

 

Preocupações com problemas fiscais em alguns países da zona do euro também foram reavidadas depois que agências de rating dizerem que podem reduzir a nota de crédito soberano da Grécia.

 

A Moody's afirmou que uma mudança no rating do país vai depender de Atenas aprovar sem maiores problemas um plano de reforma fiscal, enquanto a Standard and Poor's informou que a redução da nota de crédito grega em um ou dois degraus no próximo mês é possível.

 

(Por Leah Schnurr)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.