Divulgação/Saint Paul
Divulgação/Saint Paul

Bradesco e Saint Paul lançam curso gratuito de finanças pessoais

Parceria entre o banco e a escola de negócios vai oferecer série de aulas sobre como fugir do endividamento e fazer o dinheiro render

Pedro Ladislau Leite, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2019 | 05h00

Correções: 17/05/2019 | 11h33

Uma nova série de aulas sobre finanças pessoais será lançada na próxima semana. Fruto de uma parceria entre o Bradesco e a Saint Paul, o curso estará disponível de graça na plataforma da escola de negócios a partir do dia 24 de junho.

O curso, batizado de “Na real” e conduzido por professores da escola de negócios, foi dividido inicialmente em três módulos com grau crescente de complexidade. Cada um terá de seis a oito aulas. A primeira “temporada” da série foi pensada para mostrar aos endividados como eles podem sair do buraco, ensinando técnicas básicas de gestão financeira. A ideia é entender como criar e manter um fluxo de caixa positivo.

A partir da segunda parte, o mote passa a ser o que fazer com a poupança gerada. Quem assistir a essas aulas poderá conhecer quais os investimentos mais adequados de acordo com cada perfil e cada objetivo.

“Apesar de já haver muita gente falando sobre o tema, sentíamos falta de um conteúdo com curadoria”, diz Adriano Mussa, sócio da Saint Paul. Aos devedores, ele afirma que é preciso mostrar os comportamentos que os sabotam e sugerir mudanças de hábitos. Já para quem tem mais disciplina e dinheiro, o objetivo é mostrar como aplicar esses recursos. “Há pouco tempo, as opções de investimentos eram poupança e imóveis”, diz Mussa.

A conclusão de cada episódio dará direito a um certificado gerado automaticamente. O curso poderá ser acessado por meio de qualquer dispositivo, inclusive pelo celular e deverá ser ampliado com novos módulos.

“Nosso sistema educacional não ensina a manejar recurso financeiros, é uma coisa que acabamos aprendendo na marra. Temos o propósito de contribuir com isso”, afirma o diretor do Bradesco Victor de Queiroz. “Ao contrário do que se popularizou, o interesse das instituições não é que as pessoas fiquem endividadas para pagar juros, isso aumenta o risco do negócio. O objetivo é que elas alcancem o patamar de investidor”.

Correções
17/05/2019 | 11h33

Ao contrário do publicado anteriormente, o curso de finanças pessoais estará disponível no dia 24 de junho e não em 20 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.