CVM chama atenção de investidores para taxas de administração dos fundos

Segundo Maria Helena Santana, presidente da Comissão de Valores Mobiliários, investidores precisam ter consciência sobre o impacto das taxas na rentabilidade de suas aplicações

Aline Bronzati, da Agência Estado,

19 de junho de 2012 | 10h40

SÃO PAULO - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) quer chamar a atenção de investidores que aplicam seus recursos em fundos de investimento para o impacto das taxas de administração na rentabilidade dos seus investimentos. A informação é da presidente do órgão regulador, Maria Helena Santana.

"O que determina uma boa ou má experiência das pessoas em investir em fundos de investimento é se a taxa de administração é maior ou menor", destacou a presidente da CVM, em palestra na 2ª Conferência Brasileira de Contabilidade e Auditoria Independente, organizada pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon).

De acordo com Maria Helena, essa é uma conclusão já destacada em estudos acadêmicos em vários outros mercados, mais ainda pouco debatida. "Queremos chamar a atenção dos cotistas para que eles promovam um mercado mais eficiente", observou ela.

Em meio à redução dos juros básicos do País, a pressão para os gestores baixarem as taxas de administração dos fundos aumenta uma vez que a rentabilidade dessas aplicações tornam-se menos atrativas que a da poupança, pois além deste custo, os rendimentos dos investidores são tributados pelo Imposto de Renda (IR).

Maria Helena também destacou, em sua apresentação, a necessidade de os distribuidores de fundos agirem com maior transparência perante os investidores, principalmente, diante do cenário de queda dos juros, no qual eles começam a diversificar os seus investimentos e demandar instrumentos como, por exemplo, os fundos de crédito privado.

"Esses ativos são menos líquidos e trazem mais riscos. É preciso agir com mais transparência, por exemplo, no ponto de venda, passando as informações necessárias para o investidor tomar uma decisão e poder comparar com outros fundos", avaliou ela.

Tudo o que sabemos sobre:
CVMfundos de investimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.