Euro cai ao menor valor em um ano diante de temor de que crise se espalhe pela Europa

O rebaixamento do rating da Grécia afetou mercados já nervosos com o corte do rating de Portugal

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

27 de abril de 2010 | 17h57

A moeda comum europeia caiu a seu nível mais baixo em um ano em meio a temores de que uma crise da dívida soberana possa se espalhar pela periferia da zona do euro, levando investidores a se afastarem de ativos de risco mais elevado.

 

O rebaixamento do rating da Grécia a junk pela agência de classificação de risco de crédito Standard & Poor's afetou mercados já nervosos com o corte, pouco antes, do rating de Portugal pela mesma agência enquanto investidores continuam à espera de detalhes de um plano de resgate financeiro à Grécia.

 

O euro caiu abaixo da importante marca de US$ 1,32 no intraday, atingindo US$ 1,3166, chegando a perder 1,5% ante o dólar e 2,3% frente ao iene enquanto os investidores abandonavam ativos de risco em direção aos chamados portos seguros.

 

Outras moedas fortemente vinculadas ao crescimento global e ao humor dos investidores apresentaram queda acentuada, com o dólar canadense recuando mais de 1,6% e o dólar australiano caindo mais de 1,3% ante o dólar norte-americano.

 

"O que é ruim para Grécia e Portugal é necessariamente ruim para o euro", observou Michael Woolfolk, estrategista cambial sênior do BNY Mellon. "Trata-se de um problema regionalizado", prosseguiu. "E já se pode concluir de antemão que o euro ficará em queda livre até US$ 1,3050", projetou ele, se as agências de classificação de risco de crédito continuarem a rebaixar os ratings de países periféricos da zona do euro.

 

Divergências políticas entre autoridades europeias também alimentaram incerteza entre os investidores em um momento no qual funcionários do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia (UE) encontram-se em Atenas para negociar os detalhes de um resgate financeiro à Grécia que chegaria a € 45 bilhões.

 

"É uma questão muito, muito séria", acredita John Mcarthy, diretor da mesa de câmbio do ING Capital Markets em Nova York. "O que continua me impressionando é que o resultado ainda não está claro."

 

A expectativa é de que a negociação do pacote de ajuda à Grécia estenda-se até o início de maio, segundo o comissário europeu para assuntos econômicos e monetários, Olli Rehn, citado por uma porta-voz.

 

No fim da tarde, em Nova York, o euro era cotado a US$ 1,3181, de US$ 1,3364 ontem; o dólar era negociado a 93,18 ienes, de 94,03 ontem; a libra estava em US$ 1,5255, de US$ 1,5455 ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbioEurodólarGréciaPortugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.