Guia para nunca mais ter problemas financeiros

Guia para nunca mais ter problemas financeiros

Especialista em finanças pessoais com mais de 40 anos de experiência faz lista de "32 princípios para lidar com seu dinheiro"

O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2014 | 09h37



O economista Louis Frankenberg trabalha há 40 anos como consultor de finanças pessoais. Além de orientar clientes sobre como colocar as finanças em dia, ele também faz palestras em escolas e empresas para ensinar jovens e adultos a superar problemas financeiros e planejar uma aposentadoria tranquila. 

Para comemorar quatro décadas de trabalho, ele resolveu fazer um guia com um resumo dos conceitos mais importantes para quem deseja viver em paz sem perder o sono por problemas financeiros. Assim nasceu o livro de bolso intitulado “32 Princípios para  Lidar com seu Dinheiro”.

Quem seguir a maioria dos conselhos que ele sintetizou no guia terá uma boa probabilidade de nunca deparar-se com a falta do essencial na vida financeira, que é o nome limpo e uma reserva para gastos básicos e eventuais imprevistos. 

32 Princípios para  Lidar com seu Dinheiro:

1. Saúde física e mental é essencial para o contínuo crescimento intelectual, espiritual e financeiro: “Mens Sana in Corpore Sano”.

2. O advento do DNA comprova que cada ser humano é diferente de todos os outros. Você é único.

3. A natureza nos deu dois ouvidos e apenas uma boca. Devemos sempre ouvir mais do que falar. Esse conselho não é restrito somente às suas finanças.

4. Quaisquer extremismos conduzem à cegueira e vão te prejudicar. Manifeste sua própria verdade no virtuoso equilíbrio distante dos extremos. 

5. Para se dar bem na vida, pergunte-se: será que domino o dinheiro ou sou dominado por ele? Relembre: dinheiro é somente um meio para alcançar seus sonhos e objetivos mais desejados. Nunca deve tornar-se um fim em si. 

6. É absolutamente imprescindível estabelecer metas realistas e viáveis em sua vida e diretamente relacionadas ao determinante fator tempo e suas condições financeiras pessoais e familiares específicas. 

7. Exerça sua profissão com dedicação e apaixonadamente. Descubra e desenvolva sua própria vocação e dons naturais. Eles influenciarão positivamente sua vida.

8. Ambição e ganância em excesso podem se tornar contraproducentes e ocasionar sérios prejuízos nas relações com seus semelhantes. 

9. Ego, vaidade ou ostentação podem dificultar seu relacionamento profissional e comunitário ou mesmo conduzir a investimentos equivocados. Humildade e reflexão, ao contrário, conquistam amigos e levam ao sucesso. 

10. Encare os jogos de azar apenas como entretenimento , assim como os investimentos baseados no fator sorte. Eles jamais devem ser levados a sério ou envolver valores significativos. Lembre-se que os raros prêmios distribuídos são pagos por você mesmo. 

11. Entendimento, sintonia e muito companheirismo entre cônjuges, na busca de prioridades, objetivos e metas de vida, ampliam o controle sobre finanças familiares. 

12. Persistência, paciência e disciplina são virtudes fundamentais na construção gradativa de seu patrimônio e de suas finanças. Cultive-as. Otimismo o ajudará a superar as constantes frustrações de curto prazo pelas quais você passará. 

13. Evite tomar decisões financeiras de vulto sob apelo emocional ou quaisquer outras formas de pressão. Medite a respeito dos prós e contras e não se precipite. O bom senso deve prevalecer. Na dúvida, adie a decisão. 

14. Desconfie das ofertas de ganhos excepcionalmente elevados. Negócios e investimentos fantásticos podem ser enganosos e ocasionar grandes perdas. 

15. Procure evitar o “comportamento de manada”, ou seja, imitar os outros. Evite igualmente trocar constantemente sua carteira de investimentos favorecendo, eventualmente, mais a intermediários do que a você mesmo, em razão de maiores custos financeiros envolvidos. 

16. Estimule seus filhos a valorizar as conquistas feitas por meio do próprio esforço. Bens materiais não são substitutos do amor paterno ou materno. Não os deseduque dando-lhes tudo o que pedem. 

17. Mantenha um orçamento mensal de suas receitas e despesas. Ainda é a maneira mais sensata de ter sob controle seus objetivos de curto, médio e longo prazos. 

18. As receitas de uma pessoa ou de uma família devem sempre ser maiores do que as suas despesas. O oposto provoca descontrole e endividamento, podendo acabar em dor de cabeça ou até coisa pior.

19. Desequilíbrio financeiro é um dos principais motivos de separações entre casais e de outros conflitos familiares. Em casos extremos busque auxílio de especialistas. 

20. Ganhar mais, gastar menos ou uma efetiva combinação desses dois fatores são as únicas maneiras de alcançar ou recuperar o equilíbrio financeiro. 

21. Proteja-se dos insistentes apelos comerciais. Quase sempre são contrários ao seu autocontrole orçamentário. Dê sempre maior e irrestrito peso aos seus próprios interesses. 

22. Não se constranja ao pedir desconto sobre mercadorias ou serviços. Habitue-se a pesquisar os menores preços e as melhores condições de pagamento sem juros. Pratique a negociação! A economia obtida poderá render-lhe mais que a soma de inúmeros investimentos feitos no decorrer dos anos. 

23. A despeito dos fortes apelos de promoções, liquidações e similares, procure conter pelo menos por um ou dois dias seu impulso em adquirir algum objeto do desejo. Avalie a real necessidade de adquiri-lo e prefira usar o dinheiro poupado para os mais importantes projetos de sua vida. 

24. Evite ao máximo o pagamento de juros ou multas e considere esta conduta uma questão de honra. Tente imaginar o quanto você poupará durante sua vida e, consequentemente, poderá sonhar com realizações bem maiores. 

25. Tomar empréstimos ou hipotecas envolvendo prazos longos e/ou taxa de juros acima do normal são justificados somente para aquisição da casa própria, e mesmo esta após minuciosa análise, envolvendo grau mensal de comprometimento financeiro, sua idade atual e demais fatores. 

26. Reflita longamente antes de conceder empréstimos a familiares ou amigos. Tampouco permita que outros adquiram bens ou utilizem crédito em seu nome. Um sábio provérbio popular proclama: “Quem empresta perde um amigo”. 

27. Contrate um seguro saúde de qualidade e inclua em sua vida igualmente a realização periódica de exercícios físicos, avaliações médicas, exames laboratoriais etc. Avalie também com profissional qualificado e isento a eventual necessidade de um seguro de vida. 

28. A complexa era atual exige que você se prepare antecipadamente nos aspectos físico, psíquico e material, para um terceira e até uma quarta idade satisfatória, confortável e tranquila. 

29. Crie fontes de reserva - de preferência, múltiplas - para os imprevistos e emergências da vida. Separe periodicamente algum dinheiro para ampliá-las. Elas ajudarão a diminuir seus níveis de estresse e angústia em tempos mais atribulados. 

30. Ao administrar seu patrimônio, esteja sempre atento a fatores como liquidez (dinheiro suficiente prontamente disponível), risco envolvido, rentabilidade, prazos, custos administrativos, tributos, perda de poder aquisitivo, etc. Troque ideias com seu consultor financeiro de confiança.

31. Um patrimônio diversificado implica em possuir investimentos imobiliários, ativos de renda fixa, de renda variável e, eventualmente, seu próprio empreendimento.

32. Descubra, desenvolva, pratique desde jovem algumas habilidades intelectuais, esportivas ou de lazer que você possa exercer até idade mais avançada. Fará enorme bem ao seu permanente equilíbrio físico, mental e financeiro.

Fonte: Guia elaborado pelo especialista em finanças Louis Frankenberg

Tudo o que sabemos sobre:
Finanças pessoaisDinheiroDívidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.