Investidor busca segurança ao negociar ações pela internet

Segundo pesquisa da BanifInvest, 62% dos seus clientes consideram o item o mais importante nas operações

Yolanda Fordelone, do Economia & Negócios,

26 de outubro de 2011 | 14h58

Se na navegação da internet preocupar-se com segurança é fundamental, nos sites e plataformas das corretoras de valores não é diferente: investidores têm prestado atenção neste quesito. Segundo uma pesquisa da BanifInvest feito com 1.606 clientes, mais de 62% consideram a segurança o ponto mais importante ao negociar ações via home broker.

"Já sabíamos que era uma questão com a qual o investidor se preocupa, mas o resultado veio um pouco acima do que eu esperava", comenta o gerente de marketing da corretora, Bruno Di Giorgio.

O receio se dá sobretudo pelo aumento dos crimes de internet. De acordo com um relatório da Norton (Symantec), o Brasil sofre mais ataques cibernéticos do que a média global. Aqui, 80% dos adultos que utilizam a internet dizem já ter sido vítimas de hackers. A média mundial é de 69%. "O aumento considerável de crimes cibernéticos que incentivou a inclusão deste item segurança na enquete", diz o superintendente de TI da BanifInvest, Everson Ramos.

Segundo ele, com a constante evolução das técnicas de ataque, a corretora se vê obrigada a aperfeiçoar constantemente seus sistemas. "Temos, por exemplo, parcerias especializadas com empresas de segurança que fazem um scan das vulnerabilidades do sistema", diz Ramos. Neste ano, a corretora passou a oferecer também a possibilidade de o cliente cadastrar o computador no qual ele irá operar. Se alguém acessa a conta em outro computador, automaticamente a Banif é avisada.

O investimento na questão tem aumentado, segundo uma pesquisa da HP, realizada pelo Ponemon Institute. O custo médio anual com crimes eletrônicos foi de US$ 5,9 milhões por ano, o que representa um aumento de 56% em relação ao número registrado no estudo inicial de 2010.

Mesmo assim, vale ficar atento a alguns pontos que podem garantir maior segurança nas suas negociações:

Https

As páginas de sites comuns começam com a sigla http. Para saber se o site é seguro, o primeiro passo é verificar se o endereço começa com https. O 's' após a sigla indica que a página da internet é certificada.

Certificado

O certificado digital é um documento eletrônico com informações sobre o portador, como endereço da página, data de certificação e autoridade certificadora. Ele é identificado por um cadeado na barra de baixo da página da internet. Para acessar as informações, basta clicar nele.

Sistema de criptografia

O certificado informa qual criptografia o site utiliza. Quanto maior for a capacidade do sistema de criptografia, medida em bits, mais complexo é a codificação das informações.

Senha segura

O sistema do site deve exigir que o cliente utilize senhas entre seis a dez caracteres, com letras e números.

Política de Privacidade

O investidor deve verificar também o que será feito com as informações que ele enviar à corretora para que elas não sejam distribuídas a outras empresas ou qualquer pessoa possa acessá-las.  Essa informação é descrita na Política de Privacidade do site, normalmente localizada no local onde os novos clientes fazem o cadastro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.