Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Regras deixaram o LCA ainda mais atraente

A grande vantagem é que a LCA, da mesma forma que a LCI, é isenta de IR para pessoas físicas e tem garantia de até R$ 250 mil pelo FGC

Fábio Gallo*, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2019 | 04h00

Eu tenho uma aplicação em Tesouro IPCA + com vencimento em maio de 2019. Hoje a rentabilidade está maior do que a prometida no prazo final. Devo sacar antes?

Saque e realize o ganho, mas isso tendo em vista que o prazo para o vencimento está próximo. Esse tipo de decisão não é tão trivial como pode parecer para alguns. Para melhor entendimento temos de ir voltar ao começo da história. Todo título de renda fixa promete uma rentabilidade na data de compra e que será cumprida caso ocorra o resgate na data de vencimento do papel.

Por exemplo, um título Tesouro IPCA+ (principal) com vencimento em maio de 2035 que promete pagar 4,35% ao ano (bruto) na data de vencimento, o investidor ao fazer as contas, verificará que teve a rentabilidade exatamente o contratado na compra. Mas, caso aconteça a venda antecipada do papel, em data diferente do vencimento, o preço de venda será o de mercado, o que depende da variação da taxa de juros ao longo do caminho. Quando os juros caem, o preço sobe e vice-versa, devido a fórmula de matemática financeira que deve ser usada para o cálculo. Assim, muitos concluem de maneira imediata que sempre que as taxas caem vale a pena vender o título porque você está ganhando no preço de venda, mas esquecem que há o risco do reinvestimento.

Em outros termos, o valor recebido pode ser maior, mas será reaplicado a uma taxa mais baixa do que estava aplicado anteriormente, e dependendo do prazo, no final das contas pode não ter sido vantajoso. No caso em questão, como falta muito pouco tempo para o vencimento, a questão da reaplicação não trará problemas. O site do Tesouro ajuda muito na hora de fazer esse tipo de conta porque mantém disponível um simulador de ganho no resgate no vencimento e, também, com venda antecipada. Na simulação de aplicação de R$1.000,00 em março de 2015, com taxa de 6,14% ao ano, o valor resgatado líquido de taxas e imposto no vencimento é de R$1.478,41, com rentabilidade líquida de 9,85%. Ao passo que na venda antecipada em 62 dias, o valor de venda será de R$1.465,86, mas com rentabilidade líquida de 10,04%, trazendo ganho ao investidor.

Parte dos meus investimentos está em títulos do Tesouro, parte em fundos de renda fixa e pouco em ações. Como sou mais conservador, estou pensando em investir também em outros títulos de renda fixa. Vale a pena pensar em LCA?

As novas regras das LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) como divulgadas há pouco neste jornal tornaram este título ainda mais atraente. A LCA é um título emitido por bancos vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados entre produtores rurais, inclusive financiamentos ou empréstimos. Alguns agentes chamam a LCA de CDB agrícola. Sua remuneração é dada com base numa porcentagem do CDI. A grande vantagem é que a LCA, da mesma forma que a LCI (Letras de Crédito Imobiliárias), é isenta de IR para pessoas físicas e tem garantia de até R$ 250 mil pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

A novidade é que os bancos emissores de LCA terão mais liberdade para emitir esse título e isto trará uma melhor relação risco e retorno. A dica é pesquisar porque há diferenças substanciais no mercado. Pense nesse título com vencimento em três anos, porque você pode equilibrar a distribuição de sua carteira em relação ao prazo. Por outro lado, para manter a rentabilidade média, seria adequado você pensar em diversificar ainda mais, mas aceitando um pouco mais de risco.

Mais conteúdo sobre:
economia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.