Rentabilidade da poupança perde para inflação pelo quarto mês seguido

Poupador perdeu 0,68% em março e 0,86% nos últimos 12 meses; para especialistas, poupança não é opção em 2015

Natália Cacioli, O Estado de S. Paulo

11 Abril 2015 | 07h00

SÃO PAULO - Investir na poupança tem sido sinônimo de perda de poder de compra, pois a rentabilidade dos últimos quatro meses está abaixo da taxa de inflação. Diante da perspectiva de alta dos preços e aumento dos juros no médio prazo, a melhor saída é buscar outros tipos de investimento.

Nos últimos 12 meses, a poupança acumulou ganho de 7,20% contra alta de 8,13% da inflação medida pelo IPCA, levando a uma perda de poder aquisitivo de 0,86% no período. Nesta comparação, a poupança não registrava uma perda tão elevada desde outubro de 2003, segundo a Economatica, consultoria responsável pelos dados.

Em março, a valorização da poupança foi de 0,63%, enquanto a inflação para o mesmo período subiu 1,32%. Para o poupador, isso significa uma perda de 0,68% sobre o valor investido, marcando o quarto mês seguido de rentabilidade negativa e a pior taxa desde janeiro de 2003.

Segundo o professor de finanças do Insper Alexandre Chaia, as taxas de rentabilidade da poupança continuarão abaixo da inflação pelo resto do ano. "O risco da poupança é perder dinheiro para a inflação, e isso vai acontecer esse ano", disse.

A projeção do mercado financeiro para o IPCA este ano é de 8,20%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central, enquanto o rendimento da poupança deve se aproximar de 7%.

Desde a alteração das regras da poupança em 2012, a rentabilidade da caderneta deixa de acompanhar os juros quando a Selic ultrapassa 8,5%. Acima dessa taxa, a poupança rende 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial, que é próxima de zero. Atualmente, a taxa Selic está em 12,25% ao ano.

Alternativas. Para investidores conservadores, uma opção é investir em CDB, que tem liquidez diária. A professora de finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV) e planejadora financeira Myrian Lund alerta, no entanto, que o investimento só valerá a pena se o banco oferecer a taxa CDI acima de 85%. "O CDB com taxa progressiva é ainda mais vantajoso, pois a taxa pode chegar a 100% em dois ou três anos", disse.

Fundos DI também podem ser uma opção caso a taxa de administração não ultrapasse 2%, diz Myriam. "Ganhar dinheiro é lucrar acima da inflação, portanto a poupança não é uma alternativa".

Saques. Além de corroer a rentabilidade da poupança, a inflação também deixa o brasileiro com orçamento mais apertado. Com menos sobra de dinheiro, uma opção é recorrer às reservas guardadas na poupança.

O resgate líquido da poupança - a diferença entre saques e depósitos - atingiu R$ 11,438 bilhões. O Banco Central começou a compilar os dados atuais em 1995. Até então, o maior resgate líquido mensal da poupança havia sido em fevereiro deste ano, de R$ 6,236 bilhões. No primeiro trimestre de 2015, as retiradas já foram superiores às aplicações em R$ 23,23 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.