Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Tesouro Direto terá horário ampliado para resgate das aplicações a partir de sábado

Tesouro anunciou ainda a criação de um aplicativo que, em um primeiro momento, estará disponível apenas para celulares com sistema Android

Lorenna Rodrigues e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2016 | 10h31

BRASÍLIA - O Tesouro Nacional anunciou nesta quinta-feira, 1, melhorias no programa Tesouro Direto, que permite a compra de títulos públicos por investidores pessoas físicas. Entre as mudanças está a ampliação do horário de resgate das aplicações, que passará a ser de 9h30 às 18h, nos dias úteis, com preços e taxas disponíveis no momento da aplicação. 

Das 18h às 5h e nos fins de semana e feriados, os investimentos e resgates realizados serão liquidados com preços de abertura do dia útil seguinte. Atualmente, o resgate diário só está disponível de 18h às 5h. 

As novidades passam a valer a partir de sábado, 3. O Tesouro anunciou ainda a criação de um aplicativo que, em um primeiro momento, estará disponível apenas para celulares com sistema Android. Será possível fazer investimentos, resgates, agendamentos e consultas de extrato. 

Também será possível receber por SMS extratos e avisos de transações, o que também será feito por e-mail.

Foram feitas mudanças no extrato que incluirá gráfico mostrando a evolução do valor dos investimentos. Também será oferecido um curso online para os investidores.

A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, disse que as modernizações fortalecem a aproximação do órgão com a população e reforçam a segurança da aplicação na Dívida Pública. 

"O programa Tesouro Direto democratiza o papel do órgão junto à sociedade, com a possibilidade de pequenos investidores poderem adquirir títulos da Dívida Pública. É um produto muito bem sucedido no seu propósito", avaliou a secretária. 

As primeiras mudanças no programa ocorreram no ano passado, quando o Tesouro simplificou a nomenclatura dos títulos e criou a liquidez diária para os papéis. Segundo Ana Paula, o órgão já planeja uma terceira onda de melhorias no programa em 2017. 

"O volume de aplicações cresceu 75% desde 2015, então é bastante evidente o sucesso dessas iniciativas. Hoje já são 1 milhão de investidores inscritos, sendo 365 mil ativos. Essas iniciativas farão o programa alcançar o número de 500 mil investidores ativos até o fim de 2017", completou.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.