Perspectiva/AG7 Realty
Perspectiva/AG7 Realty

Brasilidade e estilo italiano consagram dois projetos

Soluções arquitetônicas de casas suspensas e da torre aerodinâmica são condecorados

Heraldo Vaz, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

31 Agosto 2017 | 07h12

O Ícaro Jardins do Graciosa, da AG7 Realty, em Curitiba (PR), e o Cyrela by Pinifarina, em São Paulo, ganharam prêmio de Soluções Arquitetônicas na categoria Profissional. O CEO da AG7, Alfredo Gulin Neto, define seu produto como casas suspensas. 

O projeto arquitetônico, assinado pelo Studio Arthur Casas, traz a “escala da residência, da amplitude e privacidade” que uma casa proporciona, diz Gulin. “Conceitos como exclusividade e brasilidade estão implícitos na obra.” 

A fachada, em concreto aparente ripado, é revestida com vidro especial. As plantas são quadradas, com poucos elementos estruturais rígidos. “Os terraços têm esquadrias que se abrem em vãos de até 18 metros de comprimento”, acrescenta.

O conceito de casas suspensas apresenta composição final diferenciada, avalia o júri do Master. “Arquitetura, paisagismo e design de interiores resultam em produto de padrão superior, onde moradores vão desfrutar de conforto e bem estar.” 

Lançado em junho de 2016, o Ícaro teve as obras iniciadas em dezembro. A entrega será em fevereiro de 2019. São três torres, com o total de 21 unidades.

“Temos 10 unidades vendidas”, diz Gulin. O valor médio, segundo ele, é de R$ 15 mil/m². “O preço final varia de R$ 4,9 milhões até R$ 12,8 milhões.”

As áreas vão de 315 m² nos apartamentos até 840 m² nas coberturas das três torres. Para Gulin, a proposta é que os moradores sintam “a experiência de viver em casas sobrepostas”.

Para o design de interiores também foi contratado o Studio Arthur Casas, que “desenhou uma arquitetura brasileira”, diz Gulin. Terá móveis minimalistas e acabamentos empregando materiais como madeira, pedras, ferro e vidro, além de cobogós – elementos vazados, cujo nome vem da junção de sílabas dos sobrenomes de seus criadores, os pernambucanos Amadeu Coimbra, Ernest Boeckman e Antônio de Góis.

Gulin também destaca como “conceito-chave” a integração entre arquitetura e paisagismo, com luz natural, ventilação e incidência de sol nos apartamentos, os jardins e um lago. Além do paisagismo de Renata Tilli, ele aponta outro diferencial: a sustentabilidade.

O Ícaro terá a certificação Green Building Council (GBC) Brasil Casa na categoria gold de construção sustentável. De acordo com o projeto, o empreendimento vai reaproveitar águas pluviais e gerar energia fotovoltaica. Terá vagas para veículos elétrico e iluminação totalmente em LED. “Será um residencial certificado”, enfatiza Gulin. “A maior eficiência energética traz uma redução no consumo de água, luz, gás e ar condicionado.”

Lançado em 2014, o Cyrela by Pininfarina ocupa um terreno de 2.050 m², na Vila Olímpia. Será concluído em fevereiro de 2018. Seu valor geral de vendas (VGV) é R$ 126 milhões. “Para concepção e design do projeto, a Cyrela fez parceria com o renomado escritório de design italiano Pininfarina”, diz o júri em seu voto. “Primeiro lançamento assinado pela grife no Brasil, o resultado é arquitetura impactante, torre aerodinâmica, com curvas, de modo a não ter frente ou fundo, o que confere importância a todos os lados.”

A intenção da construtora é encantar o cliente. “O Cyrela by Pininfarina significa a representação mais próxima do que é morar em uma obra de arte”, afirma o diretor de Incorporação, Eduardo Leite.

Famoso pelo design dos carros Ferrari e também por criar edições limitadas de marcas como Masserati e Rolls Royce, o estúdio Pininfarina, segundo a Cyrela, é referência quando se trata de projetos sob medida. Entre os empreendimentos assinados pelo escritório estão o Beach Walk, em Miami, e o Ferra, em Cingapura.

Leite diz que o Cyrela by Pinifarina fará o brasileiro repensar tudo o que conhece sobre design de edifícios. “Desenho e conceito remetem ao dinamismo e movimento, atrelados à sua sofisticação”, diz. Na concepção da obra, as estruturas metálicas do prédio buscam a sensação de ter sido esculpido pelo vento. 

A torre única de 22 andares tem 92 apartamentos no total, sendo quatro por andar. São 84 unidades com um dormitório, de 48 a 49 m². Além de quatro unidades Solarium, de 99 a 131m², há quatro coberturas duplex, de 85 a 94 m². “Foram vendidas 61 unidades”, conta Leite. “Temos 31 disponíveis para venda.” Em média, o tíquete dos apartamentos é R$ 1,5 milhão.

No caso das coberturas, o preço médio é de R$ 32.540/m², declara Leite. “Essas foram as unidades mais disputadas, sendo vendidas rapidamente.”

Mais conteúdo sobre:
Brasil [América do Sul] Pininfarina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.