Roberto Westbrook | PAGOS
Roberto Westbrook | PAGOS

Crédito direto pode ser opção em casos específicos

Incorporadoras Trisul e Setin oferecem essa possibilidade

João Carlos Moreira, Especial para O Estado

30 Setembro 2015 | 16h10

Para enfrentar as restrições que os bancos colocaram ao crédito imobiliário, construtoras e incorporadoras decidiram oferecer financiamento ao cliente que compra imóvel. Ainda que as taxas sejam menos atraentes do que as da Caixa Econômica Federal, a medida ajuda a impulsionar vendas. Com a crise econômica, o acesso às linhas de crédito se tornou difícil para grande parte da população.

Trisul e Setin Incorporadora fazem financiamento direto para clientes, ainda que a segunda destine essa vantagem somente para casos específicos. Outras construtoras preferem não anunciar publicamente esse recurso. De preferência, a linha é cedida para compradores com maior poder de pagamento e para aqueles que optam por tempo de financiamento curto ou valores menores.

Na Trisul, o financiamento direto é opção importante para o cliente e representa 15% das vendas. Segundo o coordenador de marketing e inteligência de mercado da empresa, Lucas Araújo, esse recurso aumenta a busca principalmente de apartamento prontos. “A procura tem sido consistente. São pessoas com maior dificuldade de comprovação de renda através de carteira assinada, como microempresários, comerciantes, profissionais liberais”, afirma.

Segundo Araújo, a Trisul oferece a possibilidade de pagamento do imóvel em até 15 anos (180 meses), com juros de 1% ao mês calculados pela Tabela Price e corrigidos pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). A intenção da Trisul não é substituir o financiamento bancário, mas apresentar alternativa. “Os bancos têm dificultado a liberação de crédito. Esta oferta (do crédito direto) é uma forma de facilitarmos uma opção de financiamento que nos ajuda nas vendas”, diz.

Araújo afirma que as vendas da Trisul se concentram em prédios em fase final de construção ou já entregues. “No portfólio, não há concentração em função da região, mas o que manda é a oportunidade. Temos como foco os recém-casados, ou prestes a casar, que querem sair do aluguel ou da casa dos pais. O perfil investidor é escasso nos últimos dois anos”, diz ele, acrescentando que a empresa tem boa demanda por unidades com valor até R$ 300 mil.

A Setin dá mais ênfase a outras promoções quando busca atingir seu público. Mas o presidente da empresa, Antonio Setin, explica que a incorporadora pode dispor de financiamento direto para clientes específicos, que procuram prazo curto de pagamento, e com juros calculados caso a caso. 

“Só atendemos casos de clientes que precisam de pouco tempo para pagar e não querem o financiamento de bancos”, afirma Antonio Setin.

Para ele, o momento do setor imobiliário é difícil, mas pode voltar a melhorar. “Estou há 37 anos nessa área, já vi tantas crises e sei que às vezes nós as potencializamos, vemos essas crises como maiores do que são.”

Araújo, da Trisul, afirma que, diante do momento de retração do mercado, a empresa tem voltado sua estratégia de ação para a plataforma on-line. “É onde podemos oferecer informações e diferenciais do nosso projeto, de forma que o cliente já chega ao estande munido das informações que o auxiliam na decisão de compra”, afirma. 

“Outra forma para aumentar a visibilidade dos produtos tem sido a campanha de unidades remanescentes, pela qual oferecemos benefícios como financiamento direto, cobertura de propostas dos concorrentes e parcelas fixas durante a obra”, acrescenta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.