Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Hoje é último dia para se inscrever no concurso de diplomata do Instituto Rio Branco

Salário supera R$ 16 mil; Treinadores de ‘concurseiros’ dão dicas para candidatos se prepararem para processos seletivos que exigem alta qualificação

Nathália Larghi, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2017 | 05h00

SÃO PAULO - O Instituto Rio Branco está com concurso aberto para diplomatas. São 30 vagas com salário de R$ 16.935,40. Para se inscrever, basta que o candidato tenha nível superior em qualquer área.

A primeira fase do concurso deve acontecer no dia 13 de agosto. Nessa etapa, o candidato fará uma prova objetiva de língua portuguesa, história do Brasil, história mundial, geografia, inglês, política internacional, noções de economia, noções de direito e direito internacional público.

A segunda etapa terá provas escritas de inglês e português. A terceira e última fase terá provas escritas de história do Brasil, geografia, política internacional, noções de economia, noções de direito, espanhol, francês e direito internacional público.

A inscrição custa R$ 225 e vai até o dia 10 de julho. O edital pode ser encontrado no site do Cespe/Unb.

Preparação. O juiz federal William Douglas, autor de uma série de livros que ensinam técnicas para passar em provas e concursos, afirma que, para provas que exigem alta qualificação, o candidato precisa ser perseverante e deixar a vaidade de lado. "Essas pessoas tendem a se cobrar mais e serem mais imediatistas na busca por resultados. Então, elas não podem se deixar desanimar por causa da demora ou reprovações", afirma.  

Outras dicas dadas pelo treinador são a boa administração do tempo, com planejamento do estudo e atenção, e o autocontrole que se esquecido, pode ser um dos principais vilões na hora de fazer uma prova. 

"O que reprova mesmo é a falta de controle emocional, de equilíbrio e de administração das vidas e desafios pessoais. Quem aprende a lidar com seu eu, sua família e sua realidade irá conseguir evoluir e chegar ao ponto de passar. Quem aprende a fazer provas, idem", afirma.

O treinamento para fazer exames é outra dica dada por Douglas. Ele explica que o candidato deve ter o hábito de fazer muitos exercícios, simulados e, se possível, outros concursos e provas.

O coach Alessandro Marques, que já treinou mais de 800 pessoas – com quase 500 aprovadas em concursos – também sugere que o candidato faça avaliações de desempenho como simulados e provas antigas além de definir uma rotina de estudo com dias, horários e uma meta de horas semanais. 

Ele afirma que é importante que montar um plano de estudo organizando quais matérias serão vistas naquela semana e quantas horas dedicará a cada uma.

Marques ainda lembra que a preparação para o concurso do IRBR é muito complexo, já que exige estudo de um conteúdo extenso e com alto grau de aprofundamento. "É um concurso que exige do candidato uma preparação de longo prazo, com pelo menos dois anos", afirma.

Mais conteúdo sobre:
Concurso

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.