Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Petrobrás propõe redução de horas extras e reajuste de 1,73% nos salários

Empresa quer pagar 50% de remuneração extra, ao invés dos 100% atuais

Fátima Laranjeira, O Estado de S.Paulo

14 Setembro 2017 | 17h34

A Petrobrás apresentou a entidades sindicais nesta quinta-feira, 14, a proposta para o acordo coletivo de trabalho 2017 e propôs reajuste de 1,73%.

A empresa também apresentou a possibilidade de os empregados que atuam no regime administrativo flexível ou fixo optarem pela redução de cinco para quatro dias trabalhados por semana, com diminuição proporcional de remuneração.

A redução opcional de jornada de 8h para 6h continuará sendo oferecida aos trabalhadores do regime administrativo com horário flexível, diz.

+Doria defende privatização 'gradual' da Petrobrás

"Em relação à revisão na remuneração de horas extras, a Petrobras está propondo remunerar as horas realizadas além da jornada diária com acréscimo de 50%, conforme art.7º, Inciso XVI, da Constituição Federal, em vez de 100%, praticados atualmente pela empresa", afirma a companhia, em nota.

+ Petrobrás aprova reestruturação da BR Distribuidora

O acordo coletivo de trabalho vigente foi prorrogado até 10 de novembro, véspera da data em que entrará em vigor a nova legislação trabalhista. A data-base de 1º de setembro está mantida. A expectativa da companhia é que as negociações do acordo 2017 estejam concluídas até 10 de novembro.

Segundo a estatal, foram realizadas reuniões com a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e com os Sindipetros Alagoas/Sergipe, Litoral Paulista, São José dos Campos, Pará/Amazonas/Maranhão/Amapá e Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.