Valeria Gonçalvez/Estadão
Valeria Gonçalvez/Estadão

CIEE oferece mais de 12 mil vagas de estágio e aprendizagem em evento online

Primeiro trimestre é a melhor época para quem busca oportunidades de estágio, segundo entidade

Rebeca Soares, especial para o Estadão

24 de fevereiro de 2021 | 16h02

O início do ano, sobretudo o primeiro trimestre, é considerado o melhor momento para jovens que buscam vagas de estágio. De acordo com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), o fenômeno acontece por conta das “vagas sazonais”, momento em que os estudantes costumam encerrar contratos. Para preencher mais de 12 mil vagas abertas, o CIEE promove a "Maratona de Vagas” até esta sexta-feira, 26, pelo site da instituição.

Administração (25%), pedagogia (11,3%), direito (9,4%) e contabilidade (7,8%) estão entre as principais áreas de atuação. Para se cadastrar, o candidato deve acessar o site do CIEE. Na categoria estágio, podem participar estudantes matriculados no ensino médio, técnico ou superior. Vale ressaltar que não há limite de idade. Já para posições como jovem aprendiz, é preciso ter entre 14 e 24 anos e estar matriculado nos ensinos fundamental, médio ou técnico ou já ter concluído o ensino médio. 

Cenário

Momento decisivo quando se trata de inserção no mercado de trabalho, a busca por um estágio em 2020 pode ter sido frustrante para muitos jovens estudantes. Com a pandemia, o setor de estágios também foi afetado. Em abril de 2020, as vagas de estágio e aprendizagem chegaram a cair 84% em relação ao mesmo mês de 2019, passando de 33 mil para 5 mil, com a chegada do coronavírus. 

Entretanto, ainda em 2020, houve um reaquecimento do setor, influenciado principalmente pela amplificação de temas como diversidade e inclusão nas empresas. Em agosto de 2020, a oferta de estágios cresceu 99,34% em relação ao mês de abril do mesmo ano. 

Apesar do aumento, o número ainda não chega ao mesmo nível pré-pandemia, como afirma Luiz Gustavo Coppola, superintendente nacional de atendimento do CIEE. “Em 2020, a gente já espera alcançar cerca de 19 mil vagas no primeiro trimestre, ainda não chegamos aos números de 2019, mas o cenário é positivo”.

De acordo com o superintendente, as empresas procuram estudantes que possam aplicar os conhecimentos da sala de aula no mercado de trabalho. “As empresas esperam que os jovens tenham interesse em desenvolver e aprender novas atividades, trabalhar em equipe, aprender a administrar o tempo e trabalhar sob pressão de metas”, afirma Luiz Coppola. 

Coppola ainda reitera que as vagas sofrem influência positivamente das novas políticas corporativas que buscam promover diversidade e inclusão nas organizações. “As empresas estão mais permeáveis para a diversidade, entendendo que somos diversos todos somos diversos diferentes e que idade contribui para o crescimento corporativo”, diz o superintendente.

Quer debater assuntos de Carreiras e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo. Se quiser apenas receber notícias, participe da nossa lista de distribuição por esse link ou digite @canalsuacarreira na barra de pesquisa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.