Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Empresa de tecnologia abre 730 vagas com possibilidade de atuar em home office

Em expansão global, brasileira Qintess está em busca de profissionais para atender clientes estrangeiros e do mercado doméstico; buscas por ‘trabalho em casa’ aumentaram 20% nos últimos 12 meses, diz Google

Juliana Pio, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2021 | 08h01

Se houve uma mudança que entrou para valer na vida dos profissionais e das empresas, e deve sobreviver à pandemia, foi o home office. A modalidade abriu as fronteiras do mercado de trabalho e se tornou a preferida entre muitos brasileiros que sonham desenvolver carreira fora do Brasil ou atuar em companhias estrangeiras sem precisar viajar

Observando essa tendência, a Qintess abriu 730 vagas de emprego com possibilidades de trabalho presencial e remoto. Desse total, 30 são para atuar junto a clientes norte-americanos e europeus e 700 para o mercado doméstico. Entre os clientes atendidos pela companhia estão: Banco BV, Goldman Sachs, Dell, Caterpillar e Natura.

Com operações no Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos e Europa, a organização, que presta serviços de transformação digital e consultoria, conta com mais de 3,2 mil colaboradores e já era adepta ao home office antes da crise sanitária. Mas, atualmente, a maioria dos funcionários está trabalhando de casa.   

Esse é o caso de Ed Sant'Anna, de 38 anos, morador de Warfield, na Inglaterra, que atua como diretor de Digital Experience da Qintess e atende clientes da Europa, Oriente Médio e África. Ele se mudou do Rio de Janeiro há 14 anos, por meio de trabalho em outra empresa. “Com as novas vagas da Qintess, as pessoas poderão ter a mesma oportunidade”, destaca o engenheiro de telecomunicações. 

Ed avalia como um bom começo para quem quer desenvolver carreira internacional. “Você pode trabalhar de qualquer lugar. Abrir a sua mente para novas culturas e perceber que o mundo é maior do que a gente imaginava. É comum estar em reunião com dez pessoas de nacionalidades diferentes. Você aprende muito mais”, garante o diretor carioca.  

As novas vagas acompanham o processo de crescimento da Qintess que recentemente anunciou a expansão de projetos na Europa e nos Estados Unidos. Para aqueles que têm interesse em atender clientes estrangeiros, as oportunidades são destinadas a desenvolvedores de softwares que residem ou não no Brasil. 

Os candidatos podem escolher trabalhar de home office ou presencialmente em qualquer escritório da companhia. Em alguns casos, o conhecimento em inglês é mandatório. “Sempre que me pedem dicas de como trabalhar fora, digo que a melhor coisa é saber falar inglês. Quando estava aprendendo, pratiquei bastante no dia a dia, com os colegas da empresa, vendo TV e buscando outras pessoas para conversar”, sugere Ed. 

Já as outras 700 vagas são para o atendimento de projetos em tecnologia da informação e transformação digital em diferentes setores e regiões do Brasil. Os níveis de formação vão do ensino médio a profissionais especializados e envolvem serviços de atendimento, suporte, gerenciamento operacional, desenvolvimento de software, monitoramento e coordenação de processos para atuação remota em filiais ou alocados em clientes, a depender do projeto. 

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Estagiária da Qintess, Camila Zandoná, 23 anos, moradora de Jardim Peri, zona norte de São Paulo, se comunica diariamente com clientes brasileiros e estrangeiros, na maior parte do tempo, em inglês, diretamente de sua casa. 

“Não imaginava que um dia iria trabalhar com estrangeiros”, lembra. “Antes só queria encontrar um emprego. Agora, penso em morar fora do País depois da faculdade”, complementa a jovem, que estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na FATECH - Faculdade de Teologia e Ciências Humanas. 

Iniciativa promove capacitação de talentos

Camila foi contratada como estagiária de Business Development depois de se capacitar em programação pela Novos Mundos, plataforma de formação de talentos com viés de diversidade e inclusão da Qintess. “Estava me inscrevendo loucamente em vagas de emprego e estágio, foi aí que a Qintess me chamou. Me senti mais preparada para o mercado”, conta a jovem.

A iniciativa foi lançada em 2020 com o objetivo de ajudar na inserção ao mercado de trabalho e a reduzir o déficit de profissionais em tecnologia no Brasil. Três trilhas de aprendizagem norteiam o projeto: Academia Service Desk (suporte de TI);  Academia de Talentos, em que o jovem recebe uma bolsa-auxílio para estudar programação (Java/.net/ Python); Academia QADS, formação em ciências da computação. 

Em parceria com a mesttra e a Vale do Dendê, a Novos Mundos já capacitou 120 pessoas e tem ainda duas turmas, com 90 inscritos, em andamento. A meta é formar 2.000 talentos em cinco anos. 

As inscrições para as próximas turmas da Academia estão previstas para o segundo semestre. No caso da Service Desk, os interessados podem preencher formulário neste link e aguardar a formação de novo grupo. Para conferir outros programas em aberto, basta acessar o portal Novos Mundos.

Home office é uma das 24 mudanças que devem sobreviver à pandemia

Impulsionado pelo uso intensivo da tecnologia e aceleração da transformação digital, o trabalho remoto, embora adotado em alguma medida antes da crise sanitária, é uma das 24 mudanças que devem sobreviver à pandemia, segundo especialistas ouvidos em reportagem do Estadão. Fato é que a ‘onda’ de devoluções de escritórios corporativos já é uma realidade e inclui grupos tradicionais. 

Para muitas empresas, o sistema permitiu uma redução considerável de custos com energia elétrica, comunicações, segurança, transporte e até aluguel. Já para os empregados, diminuição das horas perdidas no trânsito e gastos com transporte e alimentação, além de uma maior convivência com a família. Fora isso, abriu oportunidade para as pessoas mudarem de cidade e até de país, em alguns casos, sem necessariamente ter de trocar de emprego.

Os nômades digitais – como são chamados os profissionais que, com um computador e uma boa conexão com a internet, viajam o mundo enquanto trabalham – não são novidade. Mas nos últimos meses alguns países, como a Estônia, criaram incentivos para atrair esse tipo de profissional, aproveitando o trabalho remoto compulsório.

Empresas de várias partes do mundo também abriram oportunidades, nos últimos meses, de olho em talentos brasileiros para compor seus times. A demanda mais forte tem ocorrido nas vagas de tecnologia, área em que há um déficit de 250 mil profissionais no País. 

Ao contrário do movimento percebido antes da pandemia, agora os chamados ‘expatriados virtuais’ não precisam nem de passaporte para trabalhar fora e, em alguns casos. De casa, fazem seus trabalhos e prestam contas para superiores no exterior.

Google lança recurso para encontrar trabalho remoto

A busca por trabalho remoto está em seu nível mais alto desde fevereiro de 2018, de acordo com dados do Google Trends. As pesquisas por ‘trabalho em casa’, ‘trabalho de casa’ e ‘emprego em casa’ aumentaram 20% nos últimos 12 meses em comparação aos 12 meses anteriores.

Para facilitar a procura por vagas remotas, o Google lançou no último dia 24, um novo recurso na área de busca. De forma mais clara e organizada, as oportunidades de home office disponíveis aparecem diretamente nos resultados da pesquisa.

Funciona assim: quando a pessoa for buscar por emprego na caixa de busca do Google, uma nova opção de filtro ‘trabalhar de casa’ estará disponível. Ao pesquisar por vagas home office, trabalho de casa ou trabalho remoto será possível também explorar oportunidades em aberto em todos os setores. 

Veja 4 dicas do Google para encontrar vagas de home office por meio da busca:

1. Use os diversos filtros para personalizar a sua pesquisa: é possível buscar por vagas e filtrá-las para encontrar exatamente o que está disponível por profissão ou área de atuação. Na barra de busca, procure por área de formação ou, se preferir, pesquise pela localização e aplique os filtros de ‘Categorias’. 

2. Consulte as avaliações e reviews: em muitos dos resultados, estão disponíveis informações importantes, como reviews e classificações do empregador de sites confiáveis. 

3. Salve as oportunidades que te interessam: para não se perder entre as várias oportunidades em aberto, a busca mostra exatamente onde a pessoa parou da última vez que entrou. Além disso, ao achar uma vaga que tenha a ver com seu perfil, basta clicar em ‘Salvar’. Para ver suas vagas salvas, procure uma vaga e clique ou toque em Salvas.

4. Confira as vagas mais recentes: para aumentar as chances de encontrar vagas ainda ativas, o Google permite a busca por data de publicação. Além disso, há a opção de alertas para receber uma notificação por e-mail quando novas vagas forem abertas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.