Moda vira carreira em grandes empresas e consultorias

 Profissionais da área de estilo trabalham para prever, até um ano antes, o que o consumidor vai querer  comprar

Fernando Scheller, de O Estado de S. Paulo,

31 de julho de 2011 | 23h00

A mulher brasileira ainda não sabe, mas provavelmente vai usar macacão no próximo verão. E muito laranja. E saias longas. Essas tendências de moda que vão ser percebidas nos grandes magazines nacionais a partir do lançamento da coleção de verão, prevista ainda para este mês, são decididas com muita antecedência por profissionais que trabalham em consultorias e em grandes empresas do varejo: os gerentes e analistas de estilo.

Só na Riachuelo - companhia número três em confecções no País, atrás de C&A e Renner, que faturou R$ 2,6 bilhões em 2010 - são mais de 80 profissionais trabalhando diretamente na definição de modelos e criação de peças. As duas fábricas da empresa produzem 80% das peças - o restante é importado da China. "Da China vêm as peças básicas. Deixamos o material com mais informação de moda, que precisa ser entregue com rapidez, para fazer aqui", diz o coordenador de estilo Anderson Oliveira.

 Para definir o que as mais de 120 unidades da Riachuelo vão oferecer em todo o País, o trabalho se concentra em três frentes: compilação das tendências lançadas pelas grandes marcas nos desfiles das Semanas de Moda de Nova York e Paris, por exemplo; análise de quais tendências "pegaram", aparecendo posteriormente em revistas de moda ou foram usadas por celebridades internacionais; e, finalmente, adaptar o que virou moda lá fora para a realidade do Brasil e da consumidora da classe C.

Neste sentido, conta Oliveira, as novelas acabam tendo um papel fundamental. Na área de estilo da Riachuelo, as personagens atualmente vividas por Deborah Secco e Camila Pitanga em Insensato Coração viraram inspiração direta para as linhas Pool Glam e Anne Kenner, respectivamente. "Tabulamos as informações de mercado e fizemos um painel com a foto de cada personagem. A novela é uma fonte de informação muito importante para quem trabalha no mercado de massa", explica.

O coordenador da Riachuelo diz que a maior parte dos profissionais contratados pela rede saíram das faculdades de moda, mas diz que outros perfis também são aceitos. Atualmente, a empresa tem aberta uma vaga de pesquisadora, para a qual estão sendo consideradas candidatas formadas em jornalismo. Neste caso, o trabalho é de campo: consiste em ir a lojas, entrevistar consumidores e entender, dentro do caldeirão de informações veiculado na televisão e internet, o que está agradando o público da rede.

Moda como negócio. "Não estamos aqui para viajar. O nosso estilo é totalmente comercial. Tem de estar na loja e vender", é o que diz a gerente de estilo da Lojas Marisa, Karla Seabra, à sua equipe de 35 pessoas. Ao contrário da Riachuelo, que fabrica as próprias peças, a Marisa trabalha com fornecedores terceirizados, incluindo estrangeiros (cerca de 10% das peças vendidas pela empresa são produzidas na China). Por isso, há menor necessidade de desenhar peças e mais necessidade de direcionar o trabalho que será realizado pelas confecções.

A ordem na rede é levar em conta o que foi visto nas passarelas, mas mantendo os pés no chão - o que importa, no fim das contas, é o que a mulher das classes C e D, que compõe a maior parte do público da Marisa, vai querer comprar. "As grandes marcas são inspiração para a coleção. Mas essa inspiração tem de ser adaptada à ‘mulher Marisa’, que tem um estilo mais sensual", diz Karla. "A cartela de cores também precisa ser mais alegre, para refletir a realidade de um País tropical."

A área de marketing da rede, que tem cerca de 280 lojas e faturou R$ 2 bilhões no ano passado, acompanha de perto o resultado das coleções com o monitoramento da venda de cada peça e da recepção do catálogo que a empresa distribui nas lojas a cada coleção. Mais uma vez, diz a gerente de estilo, as novelas são um termômetro muito importante. "São as novelas que me ajudam a vender peças mais elaboradas, como as saias longas, que já aparecem usadas pela personagem Marina (Paola Oliveira), em Insensato Coração, e vão ser tendência no próximo verão."

Tudo o que sabemos sobre:
MODACARREIRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.