Robson Fernandes/Estadão
Robson Fernandes/Estadão

Movimento incentiva acesso a ensino superior com cashback na primeira mensalidade

Iniciativa da plataforma de financiamento estudantil Pravaler oferece também seguro até o fim do curso; inscrições começam nesta segunda-feira, 7

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2022 | 05h01

O acesso ao ensino superior é uma das portas de entrada para o mercado de trabalho, que ainda valoriza o diploma universitário, embora reconheça outras formas de aprendizado. No Brasil, uma das metas do Plano Nacional de Educação é, até 2024, elevar a taxa líquida de matrícula nesse nível para 33% dos jovens entre 18 e 24 anos.

Para estimular o ingresso na educação superior, a plataforma Pravaler criou o movimento Estuda que Muda, que dá benefícios a quem busca financiamento estudantil privado. A empresa se uniu a instituições de ensino superior (mais de 500 em todo o Brasil), sociedade civil e associações, como a Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e o Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular (CBESP), para incentivar quem deseja começar ou retomar os estudos.

Entre os dias 7 e 20 de fevereiro, os interessados em obter crédito por meio do site do movimento poderá ter acesso a benefícios como cashback de R$ 200 no valor da primeira mensalidade e seguro estudantil até o final do curso. Podem se inscrever pelo site do Pravaler também calouros e veteranos que precisam do auxílio para seguir com os estudos.

Em um cenário de desemprego acentuado pela crise sanitária, a vice-presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), uma das parceiras e apoiadoras do movimento, destaca, em nota, que a iniciativa "apoia também as famílias que perderam renda com a pandemia e que encontrarão no movimento a chance de verem seus filhos continuarem a estudar".

"O movimento surge da necessidade de união e colaboração de todo os interessados pela educação, principalmente nesse momento em que ansiamos pela retomada dos planos de vida e estudos, para seguirmos investindo e acreditando no ensino superior como um agente transformador essencial", completa Carlos Furlan, CEO do Pravaler.

Em 2021, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), uma importante porta de entrada para o ensino superior, teve o menor número de inscritos desde 2005. Além do corte na gratuidade da taxa de inscrição para quem faltou no ano anterior, que afastou estudantes pobres, a edição tinha por trás histórias de jovens que tiveram de adiar sonhos em meio ao ensino remoto ruim e busca por emprego.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.