Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Salário dos estagiários sobe acima da inflação, mas média de estudantes que recebem benefícios cai

Com o custo de vida cada vez mais alto, bolsa-auxílio dos estagiários ajuda nas despesas de casa e possibilita a manutenção dos estudantes na graduação; 69% tem como principal gasto a mensalidade escolar, diz pesquisa do CIEE

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2022 | 05h00

Estudo feito pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) com 6,6 mil estudantes mostrou que a bolsa-auxílio dos estagiários cresceu 14,3% em relação ao ano passado e chegou à média de R$ 1.023,69 mensais. O valor está acima da inflação (10,06% em 2021), mas, em contraponto ao aumento do salário, a média de estudantes que recebem benefícios teve uma queda em relação ao mesmo período. 

O auxílio transporte (-5%), o recesso remunerado (-6%) e a redução da jornada em dias de provas (-7%) tiveram as maiores quedas, enquanto o custo de vida ficou mais alto e a renda das famílias encurtou.

Segundo Maria Auxiliadora Mondini Paré, supervisora de planejamento e controle de atendimento do CIEE, a pandemia impactou diretamente na queda da oferta de benefícios para os estagiários. “O decréscimo do auxílio transporte pode estar relacionado ao trabalho remoto e a diminuição de dias trabalhados presencialmente. As empresas também têm diversificado os benefícios e oferecido auxílio internet, por exemplo”, afirma.

As bolsas-auxílio continuam crescendo, mas as responsabilidades dos estudantes dentro de casa seguem na mesma direção. Outro dado importante diz respeito aos gastos do estagiário. 69% dos estudantes ajudam no sustento da família e 9% são os únicos responsáveis por isso. A mensalidade escolar continua sendo a principal despesa paga pelos estudantes. Os demais gastos estão relacionados ao sustento básico da casa como pagamento de contas de luz, supermercado e aluguel.

A pesquisa foi respondida por estudantes que estagiam em empresas que se inscreveram para participar do 13º Prêmio Melhores Programas de Estágio e ouviu 44% de estudantes brancos, 38% pardos, 13% estudantes pretos, 2% amarelos e 2% não quiseram responder. Os resultados mostram que a maior parte dos estagiários (92%) avalia positivamente as empresas em que estagiam em relação à diversidade organizacional.

A pesquisa, realizada de forma online entre outubro de 2021 e janeiro deste ano, ainda mostrou que 78% dos estudantes estão muito satisfeitos com a organização em que estagiam. Além disso, 83% afirmam receber feedbacks do desempenho nas atividades do dia a dia e 82% acreditam que as atividades desenvolvidas na empresa exigem níveis de conhecimento de acordo com o semestre atual na faculdade. Já a oferta de capacitação é a característica pior avaliada pelos estudantes, 73% afirmam que as empresas investem em palestras, cursos e treinamentos para o seu crescimento profissional. 

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo.

As empresas que brilham os olhos dos estudantes, segundo Paré, são aquelas que conseguem equilibrar os benefícios financeiros com recursos para o desenvolvimento profissional dentro da organização. “O tempo de estágio é um tempo de desenvolvimento. É um combo de situações que fazem com que ele aprenda e se fortaleça para o mercado de trabalho. É o momento dele saber como é estar dentro de uma empresa e se de fato é aquilo que ele quer”.

Tudo o que sabemos sobre:
Sua Carreiraestágiosaláriotrabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.