André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Para BC, inovação do sistema financeiro é desafio do órgão para os próximos anos

Diretor de Regulação do Banco Central participou do 7º Congresso Internacional de Gestão de Riscos, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban)

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2017 | 14h26

DAMASO: INOVAÇÃO NO SISTEMA FINANCEIRO É UM DESAFIO PARA OS PRÓXIMOS ANOS 

São Paulo, 09/11/2017 - Para o diretor de Regulação do Banco Central (BC), Otávio Damaso, o processo de inovação do sistema financeiro figura na lista dos principais desafios da autoridade monetária para os próximos anos. O diretor fez esta afirmação durante palestra nesta quinta-feira, 9, em São Paulo, na abertura do 7º Congresso Internacional de Gestão de Riscos, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em São Paulo.

"Temos todos que nos preparar para esse processo de inovação. Olhando hoje parece ser extremamente intenso e desafiador, com muitos debates interessantes. Esse debate sobre inovação chegou agora com força no centro do sistema financeiro, já atingiu outros segmentos econômicos e transformou alguns de forma significativa e agora chega ao centro financeiro", disse.

De acordo com Damaso, há vários drivers direcionando esse processo como um todo e alguns deles ditam a tecnologia, outros drivers ditam a demanda da sociedade e a adaptação a modelos de negócios. "Mas no caso dos drivers de tecnologia tem a Inteligência Artificial, a Internet das Coisas, Big Data como um todo, entre outros", relatou o diretor como sendo parte do desafio.

++ CVM tem no radar modernização de regras de divulgação de informações

De acordo com ele, há um processo de inovação que vem dentro da própria indústria das instituições financeiras. Os bancos, de acordo com ele, sempre tiveram na vanguarda de inovações tecnológicas e dessa vez não está sendo diferente. "A gente vê um movimento muito intenso das instituições financeiras se adaptando para essas inovações, mas se vê também, aproveitando o ensejo dessas inovações, muitas empresas novas entrando no segmento financeiro e trabalhando com operações no âmbito do sistema financeiro como um todo", observou.

Neste contexto, de acordo com Damaso, o BC tem três mensagens básicas em relação ao processo de inovação. A primeira mensagem, segundo o diretor, é que a autoridade monetária vê como positivo todo o processo de inovação com títulos econômicos de eficiência, de atendimento das demandas da sociedade. "Então não adianta a gente não aderir a esse processo de inovação, inclusive nos nossos processos internos, ficaríamos para trás em relação à indústria e em relação ao mundo", alertou o diretor de Regulação do BC. De acordo com Damaso, o BC tem empurrado a indústria para que se adapte ao processo de inovação.

A segunda mensagem, continuou Damaso, é que para atuar na ampla esfera de atribuições e competência centro financeiro do BC é preciso observar o perímetro legal e regulatório. "Isso é condição necessária, absoluta e a gente não abre mão desse aspecto".

++ Apenas 17% das estatais listadas na B3 estão em segmentos de governança mais elevados

A terceira mensagem, disse, é que, não obstante à observação do perímetro legal regulatório, o BC dá todo o apoio e está empenhado em fazer as mudanças regulatórias e propor as medidas legais para permitir que o processo de inovação ocorra de uma forma eficiente e segura para a indústria. "A gente tem adotado isso, evoluímos na questão da conta eletrônica, com abertura de forma remota. Teve um processo de digitalização de documentos. Estamos tentando fazer um conserto na lei para permitir o descarte definitivo para concluir isso", disse Damaso.

Ele disse ainda que o BC inovou com a questão do contrato de câmbio eletrônico, o que está trazendo muita eficiência para os bancos e para as empresas que operam com comércio exterior. "Estamos também com duas consultas públicas em curso da Fintech na linha de crédito e também na questão da segurança cibernética", disse.

++ Pesquisa indica que 45% das empresas possuem baixo índice de compliance

Na questão da inovação, Damaso disse que o padrão de pensar do BC era o de pegar o físico e adaptá-lo ao padrão digital. Agora, a autoridade monetária está pensando cada vez mais no digital-digital. "Então tudo aquilo que a gente está pensando em fazer de novo já pensamos em como fazê-lo nascer já digital, sem ter que fazer adaptação de físico para digital", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.