Joédson Alves/EFE
Joédson Alves/EFE

coluna

Fernanda Camargo: O insustentável custo de investir desconhecendo fatores ambientais

Caixa pagará auxílio emergencial de R$ 600 em agências e lotéricas, diz presidente do banco

Guimarães disse que o pagamento deve ocorrer em agências bancárias e lotéricas

Julia Lindner, Eduardo Rodrigues e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 13h14

BRASÍLIA - O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou, nesta sexta-feira, 27, que o banco aguarda a aprovação do Senado para poder iniciar o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 ao mês para trabalhadores informais e pessoas que estão na fila do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para receber o BPC, pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. 

Não há data marcada ainda para os senadores analisarem o projeto, mas a expectativa é que ocorra na semana que vem.

Guimarães disse que o pagamento deve ocorrerá em agências bancárias e lotéricas. De acordo com ele, o banco divulgará, depois da aprovação do projeto pelos senadores, um cronograma com as datas de pagamento,  da mesma forma que ocorreu com o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no ano passado. 

Clientes da Caixa receberão o valor integral em suas contas. Os que não forem correntistas do banco poderão fazer transferência gratuita para outros bancos. "A Caixa fará parte do esforço sempre para ajudar a população", disse durante coletiva de imprensa ao lado do presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.

Caixa já fala em adiar prestações de financiamentos da casa própria por 6 meses

Guimarães disse ainda que o governo considera pausar as prestações dos financiamentos da casa própria por até seis meses. Inicialmente, o pagamento foi postergado por dois meses. Segundo ele, mais de 800 mil clientes já fizeram o pedido para adiar as prestações por dois meses. Agora, o banco já pensa em ampliar a pausa para três meses. "Se a crise se intensificar, vamos continuar postergando parcelas em todas as linhas. Pode chegar a até seis meses", declarou.

Ele destacou que os juros do cheque especial e o rotativo do cartão de crédito do banco caíram ontem para 2,9% ao mês, mas que a intenção é reduzir ainda mais. "Faremos isso matematicamente", declarou. "A população terá mais dinheiro sobrando para pagar contas", disse Guimarães. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.