Joédson Alves/EFE
Joédson Alves/EFE

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Caixa reduz juros do crédito imobiliário e do cheque especial após novo corte na Selic

Financiamento de imóvel indexado pela TR terá juros a partir de 6,50% ao ano; presidente do banco diz que ideia é 'ganhar mais clientes, com menos inadimplência'

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2019 | 10h51

BRASÍLIA - A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira, 12, a redução nas taxas de juros para o crédito imobiliário e o cheque especial. Para o crédito imobiliário, a taxa passa de TR + 6,75% ao ano para TR + 6,50% ao ano. A redução de 0,25 ponto porcentual vale para os financiamentos tanto pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) quanto pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). A nova taxa entra em vigor no dia 16 de dezembro. 

Para o cheque especial, o anúncio não trouxe grandes mudanças. Para o cheque especial da conta salário, a taxa cairá de 4,99% ao mês para 4,95% ao mês, uma queda de apenas de 0,04 ponto porcentual. Para os clientes sem pacote de relacionamento com a Caixa, o juro do cheque especial cairá de 8,99% ao mês para 8,00% ao mês, apenas cumprindo o novo teto de juros para a modalidade instituído no mês passado pelo Banco Central. Para o cheque especial, as novas taxas entram em vigor em 2 de janeiro de 2020.

O presidente do banco, Pedro Guimarães, afirmou que a redução das taxas decorre da reavaliação dos juros cobrados pela instituição após um novo corte da taxa Selic pelo Banco Central.

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa básica de juros da economia de 5,0% ao ano para 4,5% ao ano. “As taxas de DI também caíram bastante ao longo do ano, o que nos dá ‘tranquilidade matemática’ para a redução dos juros cobrados pela Caixa”, avaliou.

Guimarães lembrou que a taxa do banco no crédito imobiliário começou 2019 em TR + 8,75%. Segundo ele, a redução de 26% nos juros da modalidade neste ano possibilitou o banco aumentar o número de concessões no financiamento de imóveis.

“O mercado de crédito imobiliário com recursos de poupança cresceu 34% neste ano, enquanto a Caixa teve uma expansão de 96,5% nessa modalidade”, afirmou. “A estratégia ao reduzir juros é ganhar mais clientes, com menos inadimplência. E ainda temos uma margem muito boa."

Ele também destacou o crescimento da contratação de concessões imobiliárias na linha recém-lançada pelo banco com correção pelo IPCA. “Em março pretendemos lançar uma terceira linha, sem nenhuma correção, apenas com uma taxa prefixada”, adiantou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.