Koji Sasahara / AP
Koji Sasahara / AP

R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Mercados internacionais apresentam alta com expectativa de pico de casos de novo coronavírus

Investidores acreditam que pandemia esteja perto do número máximo de casos e diminua o ritmo nas próximas semanas; Desistência de Sanders à corrida presidencial dos EUA também influencia índices

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2020 | 06h41

As bolsas da Europa ensaiam recuperação em meio a expectativas de que a pandemia de novo coronavírus esteja se aproximando do pico do número de casos. O continente europeu tem apresentado alta maior em relação aos países asiáticos, que fecharam em sua maioria com leve crescimento nos índices.

O tom positivo ocorre também após a desistência do senador Bernie Sanders da corrida presidencial dos Estados Unidos, abrindo o caminho para que o ex-vice-presidente de Barack Obama, Joe Biden, seja o candidato do Partido Democrata à Casa Branca.

Ásia e Oceania

Apesar do avanço rápido do novo coronavírus pelo mundo, o continente asiático tem apresentado ritmo mais lento no número de contaminações e mortes. Nesta semana, a China registrou o 1º dia sem mortes pela nova doença desde o início da pandemia.

O Banco Central sul-coreano decidiu manter a taxa básica de juros em 0,75%, menor mínima histórica, após ter realizado um corte emergencial de 0,50 ponto percentual em março em reação ao coronavírus.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 0,37%, e o menos abrangente. Em Hong Kong, o Hang Seng registrou ganho de 1,38%, e na Coreia do Sul, houve alta de 1,61% do Kospi. O índice japonês Nikkei ficou praticamente estável na Bolsa de Tóquio nesta quinta, com queda de 0,04%. Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, com avanço de 3,46% do índice S&P/ASX 200 em Sydney.

Europa

As bolsas europeias abriram o pregão desta quinta-feira em alta, em meio a expectativas de que o novo coronavírus esteja se aproximando do pico.

Às 4h13 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 1,90%, a de Frankfurt avançava 1,64% e a de Paris se valorizava 1,66%. Em Milão, Madri e Lisboa, os ganhos eram de 1,74%, 1,37% e 1,99%, respectivamente.

Estados Unidos

Em Nova York, os índices futuros operam em alta significativa, também com expectativa de que a pandemia de covid-19 esteja se próxima do número máximo de casos e depois comece a cair. Além disso, a valorização dos índices se dá um dia após o senador Bernie Sanders desistir da corrida presidencial dos EUA, abrindo o caminho para que o ex-presidente Joe Biden seja o candidato do Partido Democrata à Casa Branca. Nesta quinta, investidores vão acompanhar uma nova pesquisa sobre pedidos de auxílio-desemprego dos EUA, que saltaram para níveis recordes nas últimas semanas como consequência do impacto do novo coronavírus, e um discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell

Às 5h06 (horário de Brasília), no mercado futuro, Dow Jones subia 1,46%, S&P 500 avançava 1,17% e Nasdaq se valorizava 0,88%. Entre os Treasuries, o rendimento da T-note de 2 anos subia a 0,247%, o da T-note de 10 anos avançava a 0,750% e o do T-bond de 30 anos aumentava a 1,364%.

Petróleo

O petróleo ampliou ganhos com a expectativa no corte da produção após uma reunião da Opep+ - grupo formado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e dez países aliados, incluindo a Rússia. 

Às 4h48 (horário de Brasília), o petróleo WTI para maio subia 5,38% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a U$ 26,44 o barril, enquanto o petróleo Brent para junho avançava 3,08% na International Exchange (ICE), a U$ 33,85 o barril. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.