Gage Skidmore
Gage Skidmore

coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

'Não é através do Estado que as pessoas ficam ricas', diz economista Deirdre McCloskey

Americana, que teve sua palestra cancelada pela direção da Petrobrás, afirmou em evento do Credit Suisse que o jeito de lutar contra a pobreza é 'deixando as pessoas sozinhas, não é através de políticas'

Luciana Dyniewicz, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2020 | 21h24

A economista americana Deirdre McCloskey, que teve sua palestra na Petrobrás cancelada pela direção da estatal, defendeu que o Estado “deixe as pessoas sozinhas” para que elas e o país possam enriquecer. “O jeito de lutar contra a pobreza é deixando as pessoas sozinhas. Não é através de políticas do Estado que as pessoas ficam ricas”, afirmou na tarde desta terça-feira, 28, em evento do banco Credit Suisse em São Paulo.

Formada em Harvard e com passagem como professora pela Universidade de Chicago - polo do liberalismo nos Estados Unidos e instituição onde o ministro da Economia, Paulo Guedes, se doutorou -, Deirdre está no Brasil  para uma série de palestras. Na segunda-feira, 27, proferiria uma na Petrobrás, empresa presidida por Roberto Castello Branco, também formado em Chicago.

Ao chegar no Brasil na manhã de segunda, porém, ela foi avisada de que a palestra havia sido cancelada. Em entrevista publicada pelo Estado na última sexta-feira, a economista havia afirmado que o governo brasileiro é “tudo menos liberal” e descrito os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump como pessoas “desagradáveis e loucas”. Segundo a assessoria de imprensa da Petrobrás, o evento não ocorreu por um problema na agenda dos diretores da empresa.

Nesta terça-feira, 28, no entanto, a plateia de Deirdre foi grande. Entre os presentes, estava o banqueiro Pedro Moreira Salles, presidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco, e os ex-presidentes do Banco Central Armínio Fraga e Gustavo Franco. Os últimos dois também deram palestra no evento, mas Salles afirmou que estava ali para assistir a americana. Ilan Goldfajn, também ex-presidente do BC e atual presidente do conselho do Credit Suisse, foi quem conduziu a conversa com Deirdre.

Na palestra, a americana destacou que não são os investimentos que conduzem a economia, mas a liberdade de escolha das pessoas. “O ambiente de boas ideias é que é importante. (...) A riqueza não vem de onde achamos que vem, vem da ética e deste acordo de que todo mundo é livre na sociedade. O que precisamos para ter mais ideias é uma sociedade cada vez mais livre.”

Conhecida também por ser feminista e transexual - Deirdre publicou um livro sobre seu processo para se tornar mulher -, a economista afirmou que seu conselho para a plateia era que buscasse implementar uma sociedade igualmente livre para todos, “homossexuais, mulheres, estrangeiros”. 

Deirdre voltou a criticar o conservadorismo de Bolsonaro:

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Uma das coisas idiotas dele é querer que as pessoas sejam cristãs.
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313

Ela também disse ser a favor apenas de pequenas regulações para preservação do meio ambiente. “Não acho que seja preciso construir um Estado cada vez maior para controlar como as pessoas lidam com o ambiente.”

Crítica antiga de Trump, a economista afirmou, em tom de brincadeira, que torcia para que uma pequena recessão atingisse os Estados Unidos, o que reduziria as chances de o presidente americano ser reeleito. “Se houver uma recessão, é certo que ele perde. Estou esperando uma recessão pequena, mas pequena. Quero esse homem fora”, disse, provocando risos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.