Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Termômetro Broadcast Bolsa: Mercado ajusta otimismo e previsão de alta tem forte desaceleração

Após tocar a máxima histórica de 91,67% no último levantamento, a expectativa de alta para as ações na próxima semana ficou em 64,29%

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2021 | 04h00

O mercado ajustou de forma expressiva o otimismo com o desempenho das ações no curtíssimo prazo, mostra o Termômetro Broadcast Bolsa desta sexta-feira. Após tocar a máxima histórica de 91,67% no último levantamento, a expectativa de alta para as ações na próxima semana ficou em 64,29% num universo de 14 participantes. Além disso, a previsão de perdas para o Ibovespa, que não aparecia na pesquisa anterior, agora tem fatia de 21,43%. Para 14,29%, o índice deve fechar o período entre 15 e 19 de março com variação neutra, ante 8,33% vistos na semana passada. 

A próxima semana terá decisões de política monetária no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Japão. Por aqui, a expectativa é de início do ciclo de altas da Selic, mas há dúvida sobre a magnitude deste primeiro movimento. Pesquisa realizada pelo Projeções Broadcast, com 54 instituições, mostra que 48 delas esperam aumento de 0,5 ponto porcentual, três esperam alta de 0,25 ponto, uma vê avanço de 0,75 ponto e duas acreditam em estabilidade. A taxa básica está em 2,00%. A precificação da curva de juros, porém, mostra um mercado dividido entre 0,5 ponto e 0,75 ponto.

Quanto ao Federal Reserve (Fed, o banco central americano), a expectativa gira em torno das sinalizações do comunicado e da entrevista coletiva do presidente da instituição, Jerome Powell, sobre eventuais pressões inflacionárias advindas do fortalecimento da economia, enquanto a vacinação contra a covid avança a passos largos nos Estados Unidos, e após a aprovação pelo Congresso do pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão nesta semana. A avaliação de que este cenário pode antecipar uma alta de juros tem imposto alta volatilidade no mercado de Treasurie, nome dado aos títulos do Tesouro americano. "O Fomc deve reconhecer estimativas mais elevadas para atividade e inflação nos EUA, mas manter a política monetária estimulativa", avaliam os economistas do Bradesco.

No calendário de indicadores, está previsto o dado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), para o qual Bradesco espera geração líquida de 180 mil vagas em janeiro, a ser conhecido terça-feira, 16. Há expectativa também para o resultado da arrecadação federal de fevereiro, ainda sem data definida.

O Termômetro Broadcast Bolsa tem por objetivo captar o sentimento de operadores, analistas e gestores para o comportamento do Ibovespa na semana seguinte. A ideia é mostrar para o leitor a percepção dos profissionais - e não das instituições financeiras - a partir da resposta para pergunta: Qual o sentimento para o Ibovespa na próxima semana? As alternativas apresentadas são de variação positiva, negativa ou neutra.

A pergunta é enviada às quintas-feiras e as respostas devem ser encaminhadas até as 14h30 da sexta-feira. Após o encerramento do período, o departamento de Dados do Estadão/Broadcast calcula o porcentual obtido a partir de cada uma das opções apresentadas pelo Termômetro. As respostas individuais dos participantes ficam em sigilo e os jornalistas não têm acesso a elas. A publicação dos resultados é feita nos serviços em tempo real do Estadão/Broadcast às sextas-feiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.