Divulgação/Burger King
Divulgação/Burger King

Após caso do 'McPicanha', Burger King é acusado de não usar costela em lanche 'Whopper Costela'

Segundo o próprio site da empresa, a carne do sanduíche é descrita como hambúrguer de carne de porco com aroma de costela

Lucas Agrela e Wesley Gonsalves, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2022 | 15h00
Atualizado 02 de maio de 2022 | 16h56

Após o caso dos lanches "Novos McPicanha", do McDonald's , que não têm picanha, o Burger King agora é alvo de reclamações de consumidores sobre o fato de o sanduíche "Whopper Costela" não ter costela em sua composição. O caso ganhou repercussão nas redes sociais devido a um vídeo publicado no TikTok pelo advogado Fernando Chagas, que produz conteúdos sobre defesa dos direitos do consumidor. O advogado mostra as letras miúdas do anúncio do Burger King sobre o "Whopper Costela", que informa a composição do hambúrguer utilizado no lanche: paleta suína com aroma de costela.

No site oficial do Burger King, a página do lanche de costela descreve que o produto tem o amora de costela, mas não fala sobre o uso desse corte de carne no produto. "Um hambúrguer de carne de porco com aquele aroma inconfundível de Costelinha, pra ninguém botar defeito", diz.

Com a repercussão do seu primeiro vídeo sobre o sanduíche de picanha do Mc Donald’s no TikTok, o advogado e produtor de conteúdo da página Seus Direitos explicou que decidiu analisar os ingredientes e a divulgação de outros lanches em redes de fast food, após receber inúmeros pedidos de seguidores nas redes sociais. 

Ao Estadão, Chagas conta que foi surpreendido com novos casos de marcas que comercializam produtos produzidos sem o principal ingrediente anunciado nas suas campanhas publicitárias. “No caso do Burger King é pior ainda, além do ingrediente não estar na composição, quem consomia o lanche não era informado que o produto é feito com paleta suína e não bovina", afirma.

Depois de divulgar o primeiro vídeo sobre o caso do Whopper Costela, o advogado foi procurado pelo Burger King. “Eles me mandaram uma mensagem pedindo meus contatos, para se explicar”, diz Chagas. Diante da polêmica, a companhia alterou a descrição do produto no seu aplicativo para celular, trazendo logo no início do anúncio a lista de ingredientes do lanche.

Sobre a acusação de publicidade enganosa, a rede de fast food afirmou que tem sido transparente com os seus clientes. Em nota,  a companhia confirmou que o sanduíche não é produzido com carne de costela, mas sim com o corte paleta suína, além de um “aroma 100% natural de costela” na sua composição. Questionado, o Burger King não respondeu se o lanche será retirado do cardápio, ou se será renomeado, como anunciou a rede concorrente McDonald's.

Na semana passada, o McDonald's tirou do cardápio no País os lanches chamados "Novos McPicanha". Apesar de feitos com 100% de carne bovina, os sanduíches usavam aromas de picanha e foram notificados por diversos órgãos de defesa do consumidor e pelo Conar por marketing enganoso.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.