Eric Gaillard/Reuters
Eric Gaillard/Reuters

Casino tem prejuízo em 2015, afetado por Brasil e exposição a moedas fracas

Mesmo com a melhora das operações na França grupo controlador do Pão de Açúcar não conseguiu evitar o prejuízo de US$ 47 milhões; vendas caíram 4,8% em 2015

O Estado de S.Paulo

09 de março de 2016 | 08h54

PARIS - O conglomerado varejista francês Casino Guichard-Perrachon, controlador do Grupo Pão de Açúcar no Brasil, divulgou que teve prejuízo líquido de 43 milhões de euros (US$ 47,19 milhões) em 2015, revertendo lucro de 253 milhões de euros obtido no ano anterior.

Em comunicado, o Casino atribuiu seu fraco desempenho às operações brasileiras e a sua exposição a moedas fracas, que contrabalançaram a melhora vista na França, seu mercado de origem.

O varejista também informou que seu Ebit caiu para 1,45 bilhão de euros no ano passado, de 2,23 bilhões de euros em 2014. Apesar da queda, o número superou levemente a previsão de analistas consultados pelo Casino, de 1,43 bilhão de euros.

As vendas líquidas recuaram 4,8% em 2015, a 46,15 bilhões de euros, pressionadas por um declínio no negócio varejista não alimentício da América Latina.

O Casino está sob pressão para se recuperar na França, uma vez que vendas de ativos e a fraqueza dos resultados no Brasil deixaram o varejista mais dependente do mercado francês. Recentemente, o Casino lançou um plano de desalavancagem, de 4 bilhões de euros, que inclui a venda de ativos na Tailândia e no Vietnã.

Em janeiro, a agência de classificação de risco Standard & Poor's colocou a nota de crédito do Casino em observação para possível rebaixamento a grau especulativo, devido a preocupações com o forte endividamento do grupo e difíceis condições de negócios no Brasil. 

Mais conteúdo sobre:
Casinoclassificação de risco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.