Reuters
Reuters

'Escolha do meu sucessor foi complexa', diz Trabuco

Presidente do Bradesco citou a trajetória de seu sucessor, Octávio Lazari, e destacou a sua capacidade e conhecimento horizontal da atividade bancária e do mundo de seguros

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2018 | 15h11

O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, afirmou que a escolha de seu sucessor foi complexa pela natureza do processo de selecionar um candidato para comandar o banco. "O foco foi manter o alto nível de competição da organização com a escolha de Octávio de Lazari, que tem 39 anos de casa e deu resposta muito positiva aos desafios que recebeu", disse ele, em coletiva de imprensa, nesta tarde.

Trabuco citou a trajetória de Lazari e destacou a sua capacidade e conhecimento horizontal da atividade bancária e do mundo de seguros. "Ele é um líder, que estabelece rumo, administra por consenso e tem a habilidade de a juntar equipe e representa uma gestão de continuidade e não disrupção", acrescentou ele.

O executivo destacou ainda as demais promoções que o banco anunciou em paralelo ao novo sucessor. De acordo com ele, os novos membros do conselho de administração do banco reforçam o colegiado e trazem um olhar mais especialista.

As quatro vagas existentes no Conselho do Bradesco, incluindo a renúncia de Aurélio Conrado Boni, serão preenchidas, por Domingos Figueiredo de Abreu, de crédito, Alexandre da Silva Glüher, de riscos, Josué Augusto Pancini, de varejo, e Maurício Machado de Minas, de tecnologia.

Os diretores executivos Cassiano Ricardo Scarpelli e Eurico Ramos Fabri foram promovidos a vice-presidentes. Outra alteração ocorreu na diretoria executiva que terá como diretores adjuntos Glaucimar Peticov, diretora do Departamento de Recursos Humanos, e José Ramos Rocha Neto, do Departamento de Investimentos. 

Mais conteúdo sobre:
Bradesco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.