Estadão
Estadão

Carrefour e Tesco juntam forças para aumentar poder de compra e reduzir custos

Acordo é a mais recente aliança no varejo europeu, depois de investigas recentes da norte-americana Amazon nesse mercado

Reuters

02 Julho 2018 | 10h21

PARIS/LONDRES - O francês Carrefour e o britânico Tesco, dois dos maiores grupos de varejo alimentar da Europa, planejam formar uma parceria global de compra para reduzir custos em meio à pressão competitiva.

+ Carrefour deve anunciar plano milionário de corte de custos, diz jornal

O acordo é a mais recente aliança no varejo europeu, depois de investigas recentes da gigante norte-americana de e-commerce Amazon nesse mercado.

+ Aberturas do Atacadão vão dobrar em 2018

“Essa aliança estratégica entre Carrefour e Tesco é um acordo importante, já que combina o expertise de compra de dois líderes globais, complementares em suas geografias, com estratégias comuns”, disse o presidente-executivo do grupo francês, Alexandre Bompard.

+ Carrefour Brasil tem lucro recorde de R$ 1,4 bi em 2017

A parceria cobrirá relações estratégicas com fornecedores em áreas como serviços de marketing ou coleta de dados, bem como a compra conjunta de produtos de marca própria e bens usados em seus próprios negócios, acrescentou o Carrefour.

+ Sainsbury's e Walmart vão criar gigante na área de supermercados no Reino Unido

A aliança, que será formalmente fechada nos próximos dois meses, excluirá produtos frescos, e cada companhia seguirá trabalhando com fornecedores parceiros tanto em nível local quanto nacional.

Os termos financeiros da parceria não foram revelados.

+ Sainsbury's compra Asda, do Walmart, por cerca de US$ 10 bi

A Tesco, maior rede de supermercados do Reino Unido com vendas de 51 bilhões de libras (US$ 67,2 bilhões), foi reerguida pelo presidente-executivo, Dave Lewis, depois de um escândalo contábil.

+ Na crise, a disputa pelos ‘quase vencidos’

Como parte da recuperação, o grupo, que tem operações no Leste Europeu, na Malásia e na Tailândia, melhorou as relações com os fornecedores, além de aumentar a pressão sobre rivais locais com cortes de preço.

“Ao trabalharmos junto e tirarmos o melhor proveito de nosso expertise coletivo de produto e capacidade de melhor a origem, nós conseguiremos ainda melhor servir os nossos consumidores, aprimorando ainda mais a escolha, a qualidade e o valor”, disse Lewis.

A Tesco tem sua liderança de mercado ameaçada no Reino Unido pelos planos do segundo maior grupo do setor, o Sainsbury, de comprar a bandeira Asda do Wal-Mart, que ocupa a terceira posição.

Enquanto isso, o Carrefour obtém a maior parte das vendas de 88 bilhões de euros na Europa, tendo o Brasil como segundo principal mercado depois da França. O acordo com a Tesco não inclui China e Polônia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.