Tiago Queiroz/Estadão - 8/6/2021
Tiago Queiroz/Estadão - 8/6/2021

Nubank compra Spin Pay, fintech de pagamentos, e estreia no e-commerce

Esta é a quarta aquisição desde a fundação da fintech, que está a caminho de abrir capital nos Estados Unidos 

André Jankavski, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2021 | 10h00

O Nubank, que é a fintech mais valiosa da América Latina, anunciou a sua quarta aquisição da história nesta segunda-feira, 30. A empresa comprou a Spin Pay, empresa especializada em pagamentos instantâneos para o comércio eletrônico. O valor da transação não foi divulgado, mas ela marca a estreia do Nubank no universo do e-commerce

“Com essa aquisição, queremos disseminar também no varejo eletrônico o modo Nubank de facilitar a vida dos clientes", afirma David Vélez, presidente e fundador do Nubank, por meio de nota.

Atualmente, a Spin Pay vem ganhando tração com a popularidade do Pix, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC). Porém, anteriormente, a empresa fundada por Alan Chusid, Felipe Park e Marcelo Mingatos, já trabalhava em soluções para substituir o TED e o DOC das transações online - ele conectava as contas bancárias com as carteiras digitais dos clientes, o que permitia pagamentos instantâneos. 

Agora, a empresa utiliza o sistema do BC para fornecer ferramentas que permitem o pagamento com um clique ou por meio de QR Codes. A Spin Pay tem entre os seus principais clientes varejistas como a Lojas Renner e Cobasi, além da companhia aérea Gol, e casa de análises de investimentos Empiricus

A fintech já tinha atraído investimentos anteriores de pessoas como Cássio Casseb, ex-presidente do Banco do Brasil, Daniel Goldberg, sócio do fundo Farallon, e o fundo Quartz, que tem o presidente do conselho de administração da Renner, José Galló, como um dos responsáveis. 

Expansão para o varejo

O Nubank quer aproveitar a popularização do Pix para surfar também no comércio eletrônico. Segundo dados do BC, desde o seu lançamento em novembro de 2020 até o fim do primeiro semestre, o meio de pagamento já movimentou mais de R$ 1,6 trilhão em mais de 2,4 bilhões de transações. 

O e-commerce também está em alta. Segundo dados do índice MCC-ENET, da Neotrust em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital, as vendas no primeiro semestre cresceram 24% em faturamento. 

Segundo a companhia, a operação da Spin Pay seguirá independente e o fechamento do negócio deve ser finalizado nas próximas semanas. 

“Para nós, ter essa equipe talentosa ao nosso lado é fundamental para avançar nessa jornada, mantendo o padrão de excelência na oferta de serviços e produtos”, diz Vélez. “Sempre buscamos parcerias que estejam alinhadas com nosso propósito e que nos permitam continuar evoluindo.”

Esta é a quarta aquisição da empresa desde 2020. No ano passado, o Nubank comprou a corretora digital Easynvest, com R$ 26 bilhões de ativos sob custódia, além das empresas de tecnologia Cognitect e Plataformatec. Neste ano, a fintech comprou a plataforma de atendimento Juntos.

Em agosto deste ano, o Nubank anunciou o maior aporte da história da América Latina: US$ 1,15 bilhão, o que colocou nomes como o do megainvestidor americano Warren Buffett entre os seus acionistas. A empresa também está próxima de realizar uma abertura de capital nos Estados Unidos e espera alcançar um valor de mercado acima dos US$ 55 bilhões em sua estreia.

Tudo o que sabemos sobre:
NubankSpin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.