Evan Vucci/ AP
Evan Vucci/ AP

Donald Trump volta a criticar Fed sobre alta de juros

Presidente dos EUA diz que banco central está subindo taxa ‘muito rapidamente’

Reuters, .

25 Dezembro 2018 | 18h27

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reiterou nesta terça-feira, 25, que o Federal Reserve, o banco central americano, está aumentando as taxas de juros muito rapidamente, mas acrescentou que as empresas do país eram “as maiores do mundo” e apresentavam uma “tremenda” oportunidade de compra para investidores.

“Eles estão aumentando as taxas de juros muito rapidamente porque eles acreditam que a economia está muito bem. Mas eu acho que eles vão entender isso muito em breve”, disse Trump a jornalistas no salão oval da Casa Branca, referindo-se ao banco central norte-americano. “Tenho muita confiança nas nossas empresas. Temos empresas, as maiores do mundo, e elas estão indo muito bem. Elas têm números recordes. Então acredito que essa seja uma oportunidade enorme de compra”, disse Trump após falar com tropas americanas no exterior por uma videoconferência.

Ações dos EUA caíram bruscamente nas últimas semanas com preocupações sobre um crescimento de econômico mais fraco. Trump colocou a culpa no Fed, criticando abertamente seu presidente, Jerome Powell, que ele mesmo indicou.

Informações na imprensa sugerem que Trump já chegou a discutir a demissão de Powell. O presidente disse à Reuters em agosto que não estava “empolgado” com o presidente do Fed.

Na segunda-feira, Trump havia dito que “o único problema que a nossa economia tem é o Fed”. Todos os três maiores índices de ações dos Estados Unidos encerraram em queda de mais de 2% na véspera do feriado de Natal. O S&P 500 perdeu mais de 19,8% de seu valor do fechamento desde em 20 de setembro. Já ontem, o índice Nikkei, da bolsa japonesa, caiu 5%.

O Fed subiu as taxas de juros novamente na semana passada, como era amplamente esperado. O secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, fez uma teleconferência com o grupo de trabalho do presidente sobre mercados financeiros, um órgão conhecido informalmente como a “equipe de proteção de quedas”, que normalmente só se reúne durante tempos de volatilidade pesada no mercado.

A reunião, no entanto, agitou mais os mercados do que os tranquilizou. Reguladores presentes na ligação disseram que não viam nada fora do normal nos mercados durante as vendas recentes, de acordo com fontes familiarizadas com o assunto.

Muro

Trump também afirmou ontem que a paralisação parcial do governo federal será mantida até que se cumpra sua exigência de financiamento para a construção de um muro na fronteira com o México.

O governo dos EUA foi parcialmente paralisado no sábado e até agora não há indicação de esforços de reabrir as agências fechadas pelo impasse político que foi gerado após a demanda de Trump por fundos para o muro na fronteira sul. “Eu não posso te dizer quando o governo vai reabrir”, disse ele. A construção do muro foi uma das promessas de campanha mais repetida por Trump, mas os democratas se opuseram firmemente a essa iniciativa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.