Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Saiba como sobreviver à crise de abastecimento nesta segunda-feira

Escolas e universidades suspendem aulas, empresas de ônibus rodam com até 80% da frota e postos continuam sem combustível em São Paulo; Confira a lista completa de serviços

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2018 | 23h36

SÃO PAULO – Se você por algum motivo ficou sem se preocupar com o noticiário durante o fim de semana, saiba que a greve dos caminhoneiros, que na última sexta-feira estava encaminhada para uma solução entre os manifestantes e o governo, perdurou por todo o sábado e domingo e chega nesta segunda-feira, 28, com impactos importantes no abastecimento das cidades, sobretudo em São Paulo. Confira os pontos com maior potencial de dificultar sua vida.

+ AO VIVO: Acompanhe aqui outras notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto

Combustíveis. Os postos de combustíveis de São Paulo continuam sem abastecimento nesta segunda-feira. "Todas as bases de distribuição estão fechadas. O produto que saiu foi com escolta policial e exclusivamente para atender os veículos de serviços essenciais da Prefeitura e a polícia", afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Gouveia.

+ Sincopetro diz que não sabe de onde vem a gasolina que abastece postos de SP

Ônibus. De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o atual nível de estoques e a previsão de novas aquisições de combustível permitem estimar que cerca de 60% a 80% da frota municipal estará em circulação na segunda-feira. A operação da terça, no entanto, dependerá da chegada de combustível. A CET irá manter a suspensão do rodízio e não aplicará multas aos motoristas que tiverem pane seca.

+ Como a greve afeta a sua região? Envie o seu relato pelo WhatsApp (11) 99439-3766

Supermercados. Nas prateleiras, os produtos que estão em falta são frutas, legumes, verduras, carnes, leite e derivados, alem de produtos industrializados que levam proteínas no processo de fabricação. A Associação Paulista de São Paulo informa que está utilizando veículos pequenos para fazer a retirada de produtos em centros de distribuição e remanejo de estoque entre lojas e redes.

+ Perda de vendas nos supermercados brasileiros já é de R$ 1,3 bilhão

Lixo. A coleta de lixo domiciliar está mantida até terça-feira, 29, de manhã. O mesmo se aplica à coleta hospitalar, a limpeza pós-feiras livres e o recolhimento de animais mortos. A coleta seletiva, no entanto, segue suspensa. Os Ecopontos também continuarão fechados. A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana garante que os serviços de varrição de vias foram incrementados e estão garantidos na segunda.

Saúde. As unidades de saúde continuará a funcionar normalmente. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência estão sendo abastecidas por três postos direcionados pela Sincopetro e operam normalmente. O transporte de vacinas e medicamentos também segue garantido e os hospitais municipais foram abastecidos com oxigênio e diesel para geradores.

+ USP, Unicamp e mais oito universidades suspendem aulas

Educação. Escolas da rede municipal funcionarão nesta segunda com oferta de merenda especial elaborada com insumos disponíveis em estoque. Na rede estadual, as diretorias de ensino foram orientadas a não considerar as faltas de alunos e professores por causa dos reflexos da greve dos caminhoneiros. O abastecimento de alimentos das escolas estaduais segue normalizado. A Universidade de São Paulo (USP) suspendeu as aulas da graduação até a quarta-feira - cursos de Pós-graduação e de extensão ainda decidirão se mantém ou não as atividades. Decisão semelhante foi tomada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

+ Faltas de professores e alunos nas escolas estaduais serão desconsideradas

Aeroportos. Pelo menos dez aeroportos enfrentam problemas de abastecimento no País, o que pode afetar voos para a capital paulista. Em Belo Horizonte, a BH Airport, que administra o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte/Confins, informa que o nível dos estoques do terminal continuam no mínimo e que o abastecimento das aeronaves continua sendo feito de forma restrita. Em Brasília, dez caminhões de combustíveis chegaram ao aeroporto da capital federal no início da noite de domingo, elevando para 18% o nível dos reservatórios. Somente poderão decolar os aviões que não precisem realizar abastecimentos no terminal. Outros aeroportos com falta de combustível são: São José dos Campos (SP), Uberlândia (MG), Ilhéus (BA), Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Maceió (AL), Aracaju (SE), Joinville (SC) e João Pessoa (PB).

+ Aeroporto de Brasília recebe 10 caminhões de combustível e estoque sobe para 18%

Assistência Social. Os serviços operam normalmente, mas com recomendação que deslocamentos sejam racionalizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.