Caminhos da energia no Brasil
Conteúdo Patrocinado

Caminhos da energia no Brasil

Quais medidas precisam ser tomadas para que o País não perca oportunidades estratégicas

Media Lab Estadão, O Estado de S.Paulo
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

08 de dezembro de 2020 | 20h22

A transformação do setor de Energia no Brasil e no mundo está em um momento crucial. Em termos de fontes energéticas, o peso das renováveis é cada vez maior e este é um caminho inevitável. Por isso mesmo, o País tem uma vantagem competitiva nesse quesito, por ter água, sol e vento para gerar energia em abundância. Apesar de o cenário ser positivo, o que será discutido neste especial é quais são as lições de casa que precisam ser feitas para o Brasil não perder oportunidades estratégicas.

Tanto para o consumidor quanto para as indústrias a energia brasileira ainda é cara. Em termos de matrizes energéticas para uma transição sem sobressaltos do mundo do petróleo para o mundo renovável até que ponto o gás natural merece ter mais atenção? Além do médio e longo prazos, o setor também foi fortemente atingido pela pandemia e as empresas estão buscando soluções em seus cotidianos para virar rapidamente o jogo. Inclusive investindo em tecnologia e se preparando, por exemplo, para uma das grandes revoluções que vem por aí, a do Mercado Livre de energia.

Saiba Mais

Transição renovável deve considerar abastecimento

Consultoria sugere que caminho da descarbonização passa pelo gás natural

Desequilíbrio financeiro da pandemia ameaça distribuidoras

Conta-Covid atendeu apenas uma parte da cadeia do setor elétrico

Brasil é modelo em geração de energia limpa

No caso da matriz elétrica nacional, 82,9% das fontes energéticas são sustentáveis, enquanto a média global é de 26,7%

Sem tempo a perder

Emergência climática impulsiona desejos do consumidor e ações sustentáveis do mercado de energia

Fontes limpas unem inovação e modernidade

Contribuição da eficiência energética pode representar 20% do consumo total de energia no Brasil até 2050

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.