André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Saiba como estão os principais indicadores que medem o desempenho da economia do País

Governo dispõe de diversos indicadores para acompanhar a evolução dos preços ao consumidor, o desempenho da indústria e do varejo, e a geração de empregos com carteira assinada

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2017 | 16h34

O governo dispõe de diversos indicadores para acompanhar a evolução dos preços ao consumidor, o desempenho da indústria e do varejo, e a geração de empregos com carteira assinada. 

Conheça, a seguir, os principais termômetros da economia brasileira:

Produto Interno Bruto (PIB). Calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB é um indicador para medir a atividade econômica do País. Quando há queda de dois trimestres consecutivos no PIB, a economia está em recessão técnica. Os economistas costumam dizer que o PIB é um bom indicador de crescimento, mas não de desenvolvimento, que deveria incluir outros dados como distribuição de renda, investimento em educação, entre outros aspectos.

O resultado mais recente do PIB se refere ao 2º trimestre deste ano, quando o indicador cresceu 0,2% em relação ao primeiro trimestre.  Segundo o IBGE, o PIB neste período totalizou R$ 1,639 trilhão. 

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Calculado pelo IBGE, é o indicador que mede a inflação "oficial" do País, e serve para balizar a política monetária do Banco Central, e para medir a variação de preços de produtos e serviços, de modo a oferecendo uma projeção do custo de vida para a população. 

Em setembro, o IPCA subiu 0,16%, Com o resultado de setembro, a taxa acumulada em 12 meses voltou a subir, para 2,54%, após um ano de reduções. A avaliação de economistas é que isso pode significar que o indicador chegou ao seu piso em agosto. Mas, mesmo assim, os preços permanecem sob controle. 

Balança comercial. A balança comercial se refere à diferença monetária entre exportações e importações por parte de um país em um determinado período de tempo. Se as importações superarem as exportações, o país acumula um déficit comercial. Caso contrário, há superávit. É divulgada semanalmente e mensalmente pelo Ministério do Desenvolvimento, Comércio

No mês de setembro, o crescimento mais expressivo das vendas ao exterior levou a balança comercial brasileira a bater novo recorde. As exportações superaram as importações em US$ 5,178 bilhões, o maior valor para o mês da série histórica, iniciada em 1989.

PNAD Contínua. É uma pesquisa de abrangência nacional, planejada para atender a diversos propósitos. Visa produzir informações básicas para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País e permitir a investigação contínua de indicadores sobre trabalho e rendimento. 

Após mais de três anos em queda, o mercado formal de trabalho começou a dar sinais de reação. No trimestre encerrado em agosto, o total de vagas com carteira assinada subiu 0,5%, o primeiro avanço significativo desde maio de 2014, quando havia crescido 1,1%, segundo os dados da pesquisa Pnad Contínua, do IBGE. No período, o setor privado contratou formalmente 153 mil trabalhadores.

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). Também conhecido como a "Prévia do PIB", o índice é uma medida antecedente da evolução da atividade econômica. Incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, assim como os impostos sobre os produtos. 

Em agosto, o índice teve uma queda de 0,38% em agosto na comparação com julho

Produção industrial. A Pesquisa Industrial Mensal Produção Física – Regional, realizada pelo IBGE, produz indicadores de curto prazo desde a década de 1970 relativos ao comportamento do produto real das indústrias extrativa e de transformação.

O estado de São Paulo, maior parque industrial do País, registrou recuo de 1,4% na indústria local na passagem de julho para agosto, segundo essa pesquisa. 

Pesquisa Mensal do Comércio. A Pesquisa Mensal de Comércio, realizada pelo IBGE, produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do comércio varejista no País, investigando a receita bruta de revenda nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, e cuja atividade principal é o comércio varejista. 

Na PMC de agosto, o varejo decepcionou após quatro meses de boas notícias. As vendas recuaram 0,5% em relação a julho

Pesquisa Mensal de Serviços. A Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo IBGE, produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no País, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação.

O volume de serviços prestados teve redução de 1,0% em agosto ante julho, após a queda de 0,8% registrada no mês anterior, na série com ajuste sazonal. A queda de 1,0% foi o pior desempenho para o mês dentro da série histórica, iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi ainda o mais negativo desde março deste ano, quando o volume de serviços prestados tinha diminuído 2,4% em relação a fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.