FOTO: FELIPE RAU/ESTAD?O
FOTO: FELIPE RAU/ESTAD?O

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

'Estadão' faz entrevista ao vivo com a economista Zeina Latif nesta terça-feira, às 14h

Zeina Latif vai falar sobre os desafios para o Brasil crescer em meio à pandemia; live faz parte da série 'Economia na Quarentena'

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2020 | 09h00

A  convidada desta terça-feira, 7, da série de entrevistas ao vivo "Economia na Quarentena" é a economista Zeina Latif. A  economista vai falar sobre quais os desafios para reconstrução do Brasil  após a pandemia. 

A live começa às 14h, no site e nas principais redes sociais do Estadão.

Veja outras entrevistas da série:

Candido Bracher, presidente do Itaú: 'Esse é o momento de sobrevivermos à crise'

Thiago Alonso de Oliveira, presidente da JHSF: 'Acredito que o consumo vá voltar ao normal'

Fábio Venturelli, presidente do Grupo São Martinho: 'O agronegócio garante alimento na mesa durante a crise'

Augusto Lins, presidente da Stone: 'Dinheiro está demorando muito para chegar às mãos do empreendedor'

Octavio de Lazari, presidente do Bradesco: ‘Nenhum banco tem interesse em deixar empresas quebrarem’

Walter Schalka, presidente da Suzano: 'Não acho que se deve usar recurso do povo para ajudar montadora'

Daniel Vélez, presidente do Nubank: ‘Bancos tradicionais mudaram de tática na crise. Será que isso dura?’

Christian Gebara, presidente da Telefônica Vivo: 'Demanda por conexão vai nos ajudar depois do auge da crise'

Carlos Marinelli, presidente do Grupo Fleury: ‘A saída do isolamento social será com passinhos de bebê’

Marcílio Pousada, presidente da Raia Drogasil: 'Covid-19 leva a farmácia para outro patamar no futuro'

Guilherme Benchimol, presidente da XP: 'Nesse momento é importante que haja benefícios fiscais nunca vistos na história' 

Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza: 'Em vez de jogar água para apagar fogo, estão jogando gasolina'  

Pablo Di Si, presidente da Volkswagen: ‘Mercado de carros deve voltar para os modelos mais econômicos’

Roberto Maraques, presidente da Natura & Co: ‘Lançamento da nova Avon deve ficar para o terceiro trimestre’

João Carlos Brega, presidente da Whrilpool para América do Sul: ‘Governo não pode dar dinheiro a fundo perdido a empresas’

Patrick Mendes, presidente da rede Accor para América do Sul: ‘Sem mais ajuda do governo, empresas de turismo não vão sobreviver'

Ricardo Lacerda, presidente da BR Partners: ‘Vamos todos sair mais pobres desta crise’

Antonio Filosa, presidente da Fiat Chrysler na América Latina: 'Coronavírus fará setor de veículos retroceder 15 anos no País'

Artur Grynbaum, presidente do Grupo Boticário: 'Nessa crise, efeito batom da economia não apareceu'

Meyer Nigri, fundador da Tecnisa: 'Vamos ter de correr algum risco para gerar emprego'

Fabio Maceira, presidente da JLL: 'A cultura da empresa se materializa no escritório'

Sérgio Borriello, presidente da Pernambucanas: ‘Vamos abrir de 25 a 30 lojas, apesar da pandemia de coronavírus’

Leonel Andrade, presidente da CVC: ‘Gastos de brasileiros no exterior vão se transferir para viagens locais’

Gilberto Tomazoni, presidente da JBS: ‘Contratamos 3 mil funcionários desde o início da pandemia’

Horácio Lafer Piva, acionista da Klabin: ‘Acho que Brasília desconhece a gravidade da crise que vivemos’

Roberto Müssnich, presidente do Atacadão: ‘É fundamental continuar com o auxílio de R$ 600’

Paulo Kakinoff, presidente da Gol: 'Mercado doméstico só deve voltar ao normal em meados de 2021'

Pedro Guimarães, presidente da Caixa: ‘Nossa missão agora é o crédito para micro e pequenas empresas’

José Roberto Mendonça de Barros, economista e sócio da MB Agro: ‘Imagem ambiental é desafio mortal para o agronegócio’

Mario Mesquita, economista independente: ‘Discussão de aumento da carga tributária não pode ser tabu’

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.